quinta-feira, 18 de abril de 2013

Cadê a segurança que estava aqui? O gato comeu!

Senta que lá vem a história:

Era finzinho de novembro de 2010 (caramba, peraí! escrever 2010 faz parecer tão distante; pra mim isso aconteceu semana passada! mas voltando...). Eu estava na casa da minha prima, que é quase minha irmã. Estávamos sozinhas, ela estava no sofá e eu na mesa, mexendo em alguma coisa na internet (oi, facebook!). Ela levantou a blusa e ficou olhando a própria barriga, depois falou algo como "será que eu tô grávida?".
E deu-se o diálogo:
- Não sei, Má (nós duas somos Má, rs), porque você acha isso, tá atrasada?
- Eu não sou muito regulada, lembra? Mas faz um tempo sim que não vem nada.
- Ah, então pode ser. Vem aqui pra eu ver sua barriga.
Ela veio até mim, levantou a camiseta e eu peguei na barriga dela, meio que apalpando.
- Ai, Má, ela tá diferente, hein?! Acho que pode ser...
- Mas o que eu tô achando que mudou mesmo foram meus seios, olha.
E quando eu vi, eu sabia, assim como ela, que estava acontecendo alguma coisa.
Descemos até a farmácia na mesma hora e, dois testes positivos depois, vimos que era verdade: ela estava grávida. No dia seguinte ela repetiu o exame de manhã e a resposta veio ainda mais rápido.
Enfim, o resto é "secundário": eu marquei a consulta com a nossa ginecologista e fui com ela no dia seguinte, os meses foram passando, a barriga foi crescendo, descobrimos que era um menino e ele nasceu no dia do meu aniversário, um mês antes do meu casamento. Esse ano faz dois anos.
Fim da história.
Mas não posso deixar de perguntar: vocês reparam na minha desenvoltura para lidar com a situação? Me diz: de onde eu tinha experiência para diferenciar uma barriga de uma gestante de 4 ou 5 semanas (que era o tempo que ela estava, descobrimos depois) e a de uma mulher não-grávida? A resposta é simples, minhas amigas: eu não faço a mínima ideia!!! Mas naquela situação deu super certo e o resultado está por aí, pedindo pra falar comigo ao telefone e bagunçando a casa toda.

O fato é que, se naquela época eu tive uma espécie de certeza, isso não existe mais. A segurança me abandonou no momento em que eu mais preciso dela. Quanta ingratidão! E por segurança entende-se: não sei nem se é um sim, ou se é um não, o que está acontecendo agora.
Esse é meu primeiro ciclo sem nenhum contraceptivo, mas também sem monitoramento e eu vou falar uma coisa pra vocês: tá foda! Parece que vai chegar o ano novo, mas não vai chegar o dia do fim desse ciclo. Não que eu não esteja aproveitando, é só que o tempo parou, apenas.
E eu fiz esse blog também para registrar tudinho que sei que a minha memória não vai suportar sozinha, então vamos lá: quando eu parei com o anti, em janeiro, fiquei cheia de "bolinhas" na testa e perto nariz. Nem só espinhas, nem só cravos, a maioria eram umas bolinhas mesmo; odiei, óbvio. Pois bem. Elas sumiram! Do nada! Só tenho agora umas pouquíssimas na testa, estou linda de novo (haha). Não estou usando nenhum cosmético, juro. Mistérios da vida.
Fora uns outros sintomas, como pontadas nos ovários, esses dias eu cismei que o gosto do leite condensado estava diferente, estragado. Minha amiga provou (nós fazemos brigadeiro pra vender) e disse que estava normal, mas meu paladar não aceitou: pra mim, estava com gosto de queijo, hahaha. E a mais nova novidade das paradas de sucesso: sabe quando a gente tem uma "sensação" (qualquer uma)? Ou algo parecido com um pressentimento? Pois é, eu estou sentindo, mas não de forma abstrata, e sim no meu corpo, literalmente; mais precisamente na região do estômago. Não é dor, é uma sensação mesmo. É como se eu tivesse borboletas alvoroçadas morando ali de verdade. É difícil explicar porque eu nunca senti algo parecido. Elas têm me acompanhado praticamente o dia todo, já há quase uma semana, e na aula de hidro de terça até me incomodou, um tipo de pressão mesmo na barriga. Muito estranho, gente. Os pequenos quase enjoos não entra na lista, porque eu vivo tendo mesmo, então pra mim é normal, rs.

Simplesmente não estou conseguindo viver um dia inteiro de ansiedade, como eu disse que costumo fazer. As coisas mudaram de figura esse mês e eu estou tentando entender todas essas mudanças.
Meu marido está tranquilíssimo, aquele lindo, e isso tem me confortado muito.

Pelo menos o ciclo, teoricamente, termina no fim da semana que vem e eu poderei tirar minhas conclusões disso tudo. porque por enquanto não estou apostando em nada. Até lá, espero não surtar de vez e sair correndo três dias sem olhar pra trás. Vamos aguardar.


Me diz se eu estou com cara de quem tá gostando dessa fadiga toda?


E por aí, como está o mês de abril?

Imagem: Google Imagens

7 comentários:

  1. Marina...rsrsrs...estou aqui rindo de vc!!!!Bom espero que todos esses sintomas seja um lindo positivo....Vou ficar aqui ansiosa, igual a vc...rsrsrsrs...para saber a resposta...mas se Deus quiser vai ser seu positivo sim!!!!Bjs

    ResponderExcluir
  2. Ai Mari tâmo junta!Que todos esses sintomas sejam seu bb avisando que já está aí no seu forninho =)!Bjuss

    ResponderExcluir
  3. hahaha Mari, no meu caso, o primeiro sintoma que eu tive foram os peitos! Ficaram doloridos de uma forma estranha, logo uns 3 dias depois que eu ovulei, uma forma chata que parecia que dava choquinho. No dia que eu fiz o teste, estava com umas coliquinhas chatas e sensação de que tinha alguma coisa "enchendo" minha barriga.... Faz o seguinte, espera até semana que vem (adoro prazos mentais) e faz um teste... na pior das hipóteses, vc não fica sofrendo por antecipação! :-D
    Bjoks
    Carol
    www.meuparasita.com

    ResponderExcluir
  4. Marina, espera só um pouquinho que eu conto o que tá acontecendo do lado de cá? Eu fiz o diário do meu primeiro ciclo e te digo (é de pirar). Nem tô blogando, que é pra não perder o controle, sabe como? Reclusão. Até amanhã. Ou não. :s

    ResponderExcluir
  5. Julie Nardelli comentou a postagem de seu blog

    Eu, que sou mega controladora, perdi o bonde no ciclo que engravidei. De mil tabelas, contas, pernas pra cima, teste de ovulação, marido sem cueca (hehehe), fiquei ocupada demais no trabalho aquele mês... no dia que mais ou menos era pra vir, sentindo cólicas, coloquei um absorvente e fui pro show do Roxette! Dancei, pulei, bebi, fumei, cheguei em casa tardao!
    No dia seguinte, marido e eu jogados no sofá e eu toda hora ia no banheiro checar o absorvente e nada, q meleca, deve ter vindo a síndrome de ovários policisticos de novo... de repente um ue, e setiver grávida? ? Fiz um teste, que aliás estava vencido, e opaaaaaaaaaaa, lá vem neném!
    Tá completando 13 meses de sapequice hj

    ResponderExcluir
  6. Oi Marina! Te segui lá do MMqD até aqui! ahahahahahahaha
    Imagino a ansiedade e o desejo da confirmação.
    Eu era tão maníaca do "tenho a certeza que estou grávida", porém sem querer dar o braço a torcer, que fiquei procurando os primeiríssimos sintomas no Google. Consegui identificar até o tal "sangramento de implantação", que ocorre de 7 a 12 dias depois da concepção. Depois veio todo o resto: peitões, enjoos, o sono que não acaba e nem fica pouco.
    Torcendo aqui pra que as notícias sejam lindas muito em breve.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Romana, obrigado mesmo por ter vindo! :D

      sabe que depois desse post houve um "desencanamento" por minha parte? Na verdade verdadeira estou acreditando mesmo que não foi nesse ciclo. Mas esse é só o primeiro né?! Ainda temos um longo caminho pela frente (ou não, tomaraquenao hahaha)

      Volte sempre, viu?!
      beijo beijo!

      Excluir

Deixe seu comentário e faça uma família feliz :)