segunda-feira, 8 de abril de 2013

O fim do anticoncepcional e as controvérsias da vida

Ano passado, véspera de Natal, marido e eu na fila de check-in do aeroporto rumo à casa do meu irmão, em Aracaju. Fila enorme, como vocês devem imaginar. Marido teve que sair para resolver alguma coisa e eu fiquei lá sozinha. Eu lá, com o carrinho com nossas malas, em meio à trocentas pessoas, um barulho sem fim, percebi que estava sentindo algo diferente. Não era cansaço, não era preguiça, não era vontade de calar a boca daquele cara atrás de mim que só falava asneira. Prestei atenção e percebi: não queria mais esperar, não podia mais esperar, não queria mais usar anticoncepcional. Eu queria um filho "agora". Não sei porque raios eu senti aquilo naquele exato momento, mas senti. Era um sentimento mesmo, uma coisa forte, real. Meus olhos se encheram de lágrimas. Eu tinha certeza. (já havia sentido coisa parecida algumas vezes durante o ano, mas dessa vez foi diferente, uma força presente mesmo).
Quando marido voltou, percebeu meus olhos marejados e comentei por alto o que estava sentindo e a minha vontade (estava uma correria total, quase perdemos o voo), e ele concordou. Voei 3 horas pensando nisso. 

Eu usava o anticoncepcional Evra, que é um adesivo transdérmico (para quem não conhece é assim: são três adesivos,a troca é feita a cada uma semana. Depois do terceiro, tem a pausa de 7 dias, igual aos outros, que é quando desce, e daí começa tudo de novo). Eu ainda estava com o primeiro adesivo e, apesar da ideia tentadora, não arranquei-o de uma vez por todas e me joguei nas tentativas, até porque eu tinha medo de bagunçar o ciclo. Usei até o final, normal, esperei descer, mas não comprei uma nova cartela. Parei mesmo. 

Mas não me joguei nas tentativas.
Nós ainda tínhamos (temos) para sempre teremos umas contas para acertar, e ainda queríamos aumentar um pouco a poupança para conseguir pagar uma equipe bacana para nos acompanhar. 
Seguimos usando camisinha. Fui à médica, ela disse que estava tudo bem. 

Meus ciclos sempre foram totalmente regulares. Com o anti, eu sabia exatamente o dia e até mais ou menos o horário que viria, achava isso o máximo, rs. E agora está um tormento. No primeiro mês sem o adesivo, demorou simplesmente 39 dias para descer de novo. Para mim, que estava acostumada com 28 dias pontualmente, foi horrível, quase surtei. Fiz uns 4 testes, mas deram todos negativo. Do segundo pro terceiro (que foi a última vez), demorou 34 dias. E agora ainda não estou atrasada, não, mas já até espero que demore de novo.

Na viagem, tínhamos combinado que iríamos começar a tentar no mês de maio (não por um motivo específico, só para estipular uma data mesmo). Quando acertamos isso lá na praia, de frente pro mar, tudo parecia tão distante, tão longe. E a parte que eu tinha sentido que tinha que ser "agora"? Chorei, mas concordei no final, porque no fundo eu sabia que ia ser melhor assim.

Mas gente! Maio é mês que vem!
Mas não foi ontem mesmo que eu estava pensando em como eu poderia burlar o calendário para chegar logo no tal do mês? O tempo foi mais rápido que eu dessa vez e chegou antes da minha descoberta, rs...

E eis que semana passada, quando me dei conta disso tudo... travei.
quén, quén, quén, quéééénnnn...!!!

O que antes era uma ansiedade desmedida, agora é uma coisa que eu ainda não sei definir muito bem, mas se parece um pouquinho com medo.

Ah, claro, essa é a parte que eu conto que marido e eu adoramos fazer planos... para desfazê-los no final das contas. Não esperamos o mês das mães coisa nenhuma, paramos com a camisinha, assim como quem não quer nada, esse mês mesmo. Ou seja. Agora eu sou tentante, né?

Eu sou?



Não estou fazendo nada além daquilo que tem que ser feito, haha... melhor dizendo: não estou contando no calendário o período fértil, não estou medindo temperatura, não estou monitorando muco... nadica de nada mesmo. Até porque, não se esqueçam, ainda não caiu minha ficha que eu mudei de status.

Me diz, gente: haverá um mundo justo e sem controvérsias no universo pré-materno? (porque no materno já me disseram que não há mesmo). A pessoa passa a vida inteira querendo ser mãe, querendo começar as tentativas o mais rápido possível. Quando chega a hora, o que acontece? Um medo descabido, que nem pediu licença e já foi se instalando aqui. Ah, não... tá tudo errado! rs É um medo estranho de não dar certo, de dar certo e eu não dar conta, de ficar neurótica se demorar demais, de fazer tudo errado. Ah, tanta coisa. Tudo ao mesmo tempo. Tenho que dizer que não tô gostando muito disso, não, tô ficando confusa...

Acho que isso é ansiedade disfarçada de medo, na verdade, mas ainda estou averiguando...

Fica no ar muitas perguntas: isso é normal? Eu sou a única em todo Planeta Terra que sente uma coisa estranha assim? Haverá solução para o meu caso? Isso passa? Como? Tenho que fugir para as montanhas antes que a coisa se agrave? Quem vem aqui me dar um abraço? um dia deixarei de ser dramática nos meus textos? Aguardaremos os próximos capítulos.

14 comentários:

  1. Nossa Marina...estou aqui quase morrendo de rir de vc...serio mesmo!!!rsrsrsrs...Olha sinta-se abraçada....eu sei como estas coisas são complicadas...nós mulheres pensamos demais, em tudo, e isto nós deixam loucas...Mas fica calma é assim mesmo, acho que medo, dúvidas sempre vamos ter, em tudo na vida....Bjs fica com Deus e fica tranquila Maio esta ai e vai da tudo certo!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha obrigado, Gracielle!
      Meu marido fala a mesma coisa: que eu penso demais! rs... é uma coisa de doido mesmo esse negócio de ser mulher e, agora, de ser tentante. Muita coisa passa pela cabeça da gente, que coisa...

      Muitíssimo obrigado pelo abraço! É sempre necessário, ainda mais em momentos como esse, né?! :))

      Beijinho, fique com Deus também!, e boa semana!

      Excluir
  2. Marina, receba meu abraço virtual, e fique tranquila porque isso é completamente normal, tbm sou uma tentante assim como vc, sem olhar muco, medir temperatura ou ficar seguindo o calendário fértil, acho que isso aumentaria mais a minha ansiedade.Isso passa sim e quando ficar mais forte você pode vir aqui e desabafar conosco =D!Bjuss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom saber disso, Má!
      Pois é, acho que nem a partir do mês que vem vou monitorar todas essas coisas, porque tenho medo de aumentar a ansiedade.

      Que bom que a gente tem essa rede de troca aqui, né?! Obrigado!

      Beijos!

      Excluir
  3. Oi Marina!Bem vinda ao clube,toca aqui \o!rsrsrs
    É assim mesmo,a decisão quando tomada é um grande passo..mas qnd chega na hora do "vamo vê" é normal dá aquela travada...`
    É um passo muito importante na nossa vida né?A gente começa a pensar láá na frente como vai ser...mas quem pensa de mais...já viu né?
    Boa sorte pra vc e pra todas as outras tentantes!
    TAMO JUNTO!!rsrsrs
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aê, todas no mesmo clubinho! haha

      Realmente o frio na barriga bateu com força aqui, rs
      vou tentar parar de pensar lá na frente pra não melecar tudo de vez, hehe

      Obrigado, Nathy!
      Beijo beijo

      Excluir
  4. Dá aqui um abraço nova amiga tentante :D
    É tudo normal isso que tu sente (olha a pessoa suuper experiente falando kkk). Eu já sinto isso, acredita? Meu sonho ser mãe, vivo a vida em função disso. Eu e marido tinhamos estipulado que seriamos "tentantes" em 2014, e agora que tá chegando o tal do 2014 eu to como? Cagada de medo já haha pensando exatamente o que tu ta pensando: será? eu vou conseguir? e se eu não conseguir minha equipe de parto? e se não tiver dinheiro suficiente? e vou ser boa mãe? e mais um monte de blábláblá hahaha
    Então, verificando aqui do meu ponto de vista, normal Marina, é a ansiedade e o medo juntos, faz parte e depois que o bebêzinho estiver na tua barriga vão vir outros medos, outras ansiedades. Depois que ele nascer, tudo de novo e assim segue a vida de mãe hehe

    To muuuito feliz por vocês viu, que a demora não seja longa, que logo esse bebê venha com tuuudo.

    Beijoos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. verdade, né! sempre haverá motivos (ou desmotivos, haha) para ficarmos preocupadas, ansiosas, com medo. Mas também há muitos motivos para felicidade, e esses são maiores, ainda bem! ^^
      Obrigado, Nicole!
      Vamos torcer pra ele chegar logo mesmo, rs

      Beijinho!

      Excluir
  5. Olha, no dia que eu decidi parar com o antibaby, eu tb me enchi de tomar ele, simplesmente. Foram 10 anos me entupindo de hormônio non-stop. Quando parei de vez, meu ciclo continuou no mês seguinte sendo igual ao da pilula, 21 dias. depois passou pra 26, 26, 30 e 31 e eu engravidei! rs Justo no mês q eu tava desencanando de engravidar foi quando pimba-aconteceu!
    Se serve de conselho: espera, seu ciclo vai ficar meio maluco mesmo, e eu tb não quis monitorar nada, até janeiro qdo comprei um teste de ovulação. MAs aí percebi q tava viajando e o melhor era esperar! rs
    Aproveita bem essa fase, pq é bem divertido, if you know what I mean....hahha
    bjkoks
    Carol
    www.meuparasita.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pra mim foram 6 anos sem parar e me enchi também. Por isso parei antes mesmo de começar a tentar...
      é, acho que é normal mesmo essa desregulada. A Catia até me avisou mesmo que ia bagunçar um pouco, pra eu ter paciência, rsrs
      e vou seguir assim, "apenas" curtindo essa fase, que é divertida mesmo, haha
      Obrigado por comentar, Carol!

      Beijo!

      Excluir
  6. Aêêê!!!! Bem-vinda ao clube!
    Marina, lembrei de uma frase que ouvi no estádio domingo. "Só faz gol quem chuta, seu #£€&$@!" A gente esquece a última parte, e pensa que as nossas dúvidas só sumirão quando estivermos na situação né?
    Então vai de com força! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei essa frase, Nana! filosofia de estádio é legal, gostei! haushuahsa

      Boa sorte pra nós! E que venha na hora certa (mas que a hora certa não demore tanto, né?! hehe)

      Beijo, querida!

      Excluir

Deixe seu comentário e faça uma família feliz :)