domingo, 5 de maio de 2013

Sobre a primeira decisão sobre o parto e como tudo acontece na hora certa

Assim que eu descobri os positivos, mandei um e-mail pra médica. E o e-mail voltou imediatamente com uma notificação informando que ela estava (está ainda) viajando. E mesmo a Ana Cris dizendo para eu não ter pressa, porque estava tudo bem comigo (passei em consulta e fiz exames em fevereiro), e que eu só precisava começar a tomar o ácido fólico, ainda fiquei pensando que ainda estava muito longe da data de retorno da médica e queria agir, de alguma forma, antes disso.

Eu disse aqui que as coisas ainda não estavam 100% a favor do valor que eu teria que desembolsar (com a equipe que eu queria e com o hospital) e que isso me preocupava demais, sim. Naquele dia eu ainda não sabia que já estava grávida. Na verdade, eu nunca pensei que conseguiria de primeira, sério mesmo. Achei que daria tempo de juntar mais umas moedas, rs. E no último post eu comentei que, assim que eu contei à minha mãe que ela iria ser avó de novo (meu irmão já tem um filha), a primeira coisa que ela me perguntou foi: e o parto, vai ser aquele preço mesmo? Hahahaha, mães são ótimas! E eu, que sempre mostrei meu ponto de vista totalmente a favor do parto natural e sempre conversei abertamente com ela, explicando tudo, falei: então, mãe, tem a Casa de Parto, que é bem mais em conta etc e tal. E começamos a conversar sobre isso. Sim, somos as pessoas que, antes mesmo de saber com quantas semanas eu estou, já engatamos no assunto parto, rs.  Para ser sincera, eu nem tinha pensado em nada disso ainda, mas parece que o fato dela ter me perguntado abriu uma janela na minha mente e as coisas foram acontecendo. Foi uma luz!

Eu simplesmente abri o site da Casa Angela e comecei a explicar e ler pra ela o que era uma casa de parto, como funcionava, onde era. Tudo que eu consegui adiantar, expliquei. E à medida que eu ia dizendo, me familiarizava mais com a ideia. Porque sim, minha gente, eu ainda não tinha uma plena certeza se eu realmente gostaria de parir naquele local. Mas parecia que eu também estava lendo pra mim, sabem?!, foi realmente muito bom. Ela adorou a ideia e me incentivou a marcar uma visita. No dia seguinte, liguei e perguntei se teria a conversa de acolhimento naquela quarta, já que seria feriado, e a moça me disse que sim. Pensem como fiquei animada? Eu, que queria sentir que já estava agindo, iria começar no dia seguinte.

Pois bem, no dia seguinte estávamos lá: meu pai, minha mãe, marido e eu (eu disse que onde vai um, vai todos, haha). Mas pensem, meus pais estavam super curiosos pra saber o que era, afinal de contas, uma casa de parto. E eu sou daquelas que explica, mas prefiro mostrar. Então, vamo todo conhecer o lugar!
E lá funciona assim: toda quarta-feira, às 09:30 da manhã, tem um acolhimento para todas as pessoas que querem conhecer a casa. Antes da primeira consulta ali, é preciso passar por isso. 
Chegamos e ficamos ali na sala de espera uns minutos, ainda tinham poucas pessoas. Preenchi uma ficha de cadastro básica e, depois de um tempo, fomos chamados para começar a conversa. Numa sala bem ampla, com cadeiras em círculo, a Anke, coordenadora, e a Marina (!), obstetriz, sentaram-se também e começamos a conversar. Cada um se apresentou, dizendo como conheceu a casa, de quantas semanas gestacionais estava (ou se era acompanhante), idade, de onde vinha. Foi bem legal. Falei que tinha descoberto a gestação naquela semana e que já estava no mundo das pesquisas há mais de um ano (nesse momento, todos me olham com cara de: ela é louca mesmo, rs), falei das minhas vontades. Meus pais se empolgaram falando também (haha) e o Cleber disse que tudo que ele sabe sobre parto natural, aprendeu comigo (owwn, #todasachafofo!!!). Eu era a única em começo de gestação, todas as outras mulheres estavam entre 5 e 7 meses.

Depois, elas explicaram que só pode ter parto lá quem é de baixíssimo risco, e que quando chega às 37/38 semanas, a equipe analisa seus exames e vê se tem a possibilidade de você permanecer ali. Se não, é o caso de ir para o hospital mesmo. Disseram que o tempo de cada mãe e de cada bebê é respeitado e que não há intervenções desnecessárias. Mas se, durante o trabalho de parto, houver a iminência de uma complicação, eles transferem a gestante para um hospital que já estará pré-estabelecido entre as partes. 

Terminada a conversa, descemos para conhecer as dependências da casa. Duas salas de espera bem aconchegantes, cozinha, a garagem, onde estava a ambulância própria que eles possuem, sala onde acontecem as consultas (que não entramos, pois estava ocupada naquele momento) e finalmente, o corredor que mais nos interessava: das salas de parto. São 4 salas. Duas com banheira (sim, também tem a opção de parto na água), bolas, banquetas, a cama, cavalinho, barra, tudo aquilo que é necessário para um parto natural. Tem um corredor onde ficam só os chuveiros. A sala de reanimação neonatal, com uma incubadora, caso ocorra alguma emergência. Tem o alojamento conjunto, com camas de verdade, e não macas, e os bercinhos (daqueles de acrílico de hospital mesmo) ficam "disfarçados" dentro de um tipo de suporte de madeira, com mosqueteiros na cor nude e colchas de retalho. Coisa mais linda, gente! Tudo muito aconchegante mesmo. Tem também uma salinha de amamentação, onde você pode ir caso tenha alguma dificuldade em casa para receber orientação, ou para doar leite também. Dá pra ver as fotos das instalações aqui.
Depois disso, tomamos um belo lanche, conversando e interagindo mais. Descobri que lá tem oficinas para produzir o próprio sling (nessa hora eu vibrei de felicidade, rs), para produzir aqueles kits de algodão, cotonete, a própria almofada de amamentação, etc. Fora os cursos de preparação pro parto, fisioterapeutas, psicólogos. Enfim, tem muita coisa disponível. 

E vocês acham que acabou? Deixei a parte que, literalmente, quase me fez chorar, por último. No fim da conversa, a Anke entrou no assunto valores. Disse que, para as pessoas da "área de abrangência" da casa, eles atendem todo o pré-natal, parto e pós parto, de graça. Para as outras pessoas, é cobrado um pequeno valor, porque sabemos que a casa recebe doações de algumas fundações, mas nada do governo. E aí ela diz a coisa que nunca na minha vida pensei ouvir: meu bairro É SIM área de abrangência da Casa Angela!!! GENTE!! Vocês tem ideia do que significa isso? claro que sim, porque acabei de explicar! Eu não conseguia acreditar que teria todo atendimento gratuito, dava vontade de sair pulando de alegria! Demorou pra cair minha ficha, na verdade. Eu, que estava super hiper preocupada com essa questão, fui novamente surpreendida pela vida. 

E aí eu fico pensando: as coisas realmente acontecem quando tem que acontecer, né?! Tudo orquestrado para ser no tempo certo. Porque se eu não tivesse voltado a morar com os meus pais, teria que pagar, sim, o valor cobrado. Porque se a médica não tivesse viajado, talvez eu não teria ido conhecer a casa agora no começo. Porque se eu tivesse esperado ter todo o dinheiro, iria demorar uma vida toda  muito para conseguir o total, e eu não teria começado a tentar agora, e o bebê, talvez, não viesse de primeira. Deus é muito bom mesmo, minha gente! Tô muito feliz!

Saí de lá com a consulta marcada para a próxima quarta. E já estou contando os dias para chegar logo, e para chegar mais rápido ainda o dia do ultrassom.
Rezando muito para as coisas continuarem se acertando no tempo certo, amém.

13 comentários:

  1. Marinaaaaaaaaa do céu, menina que coisa maravilhosa. Juro que não sabia como funcionava uma casa de parto e nunca me interessei muito em pesquisar (acho que porque não tem na minha cidade, daí fico triste por não ter esse opção). Mas eu amei, simplesmente adorei tudo. Que coisa maravilhosa, to espantada mesmo. Fazem de tudo pra tu se sentir em casa né? É quase um PD, mas acho que a mulher se sente mais segura, sendo mamãe de primeira viagem né? Tomara que eu encontre uma aqui em Porto Alegre, vou agora me jogar nas pesquisas pra ver se acho.

    Realmente, tudo acontece no seu tempo e não temos que nos preocupar tanto com as coisas. Deixar rolar, pois assim somos surpreendidos né? Que delícia.

    Beijoos felizes hihi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, menina, confesso que também fiquei bem surpresa! Eu sabia que existia mas nunca tinha pesquisado tanta coisa assim. Foi muito bom mesmo!!
      E como disse a minha mãe: é o conforto da casa, mas com a estrutura do hospital, hehe.
      Procura sim aí em Porto Alegre, com certeza você vai encontrar uma equipe bem bacana, tô torcendo por isso :))

      agora é aguentar a ansiedade até o dia do exame, hahaha

      Beeijo!!

      Excluir
  2. Que máximo guria! Que sonho ter um atendimento de qualidade, humanizado, um local que respeita o nascimento dessa forma assim perto de casa, e ainda por cima de graça!
    Desejo tudo de melhor pra ti na gestação e um parto perfeito!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, De, que bom ter você aqui ^^
      Foi mesmo Deus, viu! Eu estava TÃO preocupada com essa questão, agora estou bem mais calma! Quarta tenho a primeira consulta, vamos ver como vai ser, volto aqui pra contar.

      Beijão!

      Excluir
  3. Ebaaaa, que delícia menininha!!! Que ótimo, que bênção.
    Amém!
    =)

    Beijos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém, amém, Dani! :D

      na quarta eu venho contar como foi a consulta..

      e por aí, como andam as coisas? ^^

      Beijoos!

      Excluir
  4. Nossa que maravilha flor....Deus sempre sabe o que faz....Feliz por vc!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele sempre sabe, né, Graci!
      Tô bem feliz também, agora posso curtir mais esse momento...

      Obrigado pelo carinho!

      Beijo beijo!

      Excluir
  5. Mari, ver Deus agindo assim é muito bom!É reconfortante, só aumenta ainda mais minha fé!Muito feliz por vc e que tudo continue dando certo assim.Sonhei com vc essa noite, sonhei que tinha ido assistir seu parto...hehe, mas quando cheguei o bb já tinha nascido e tava até de roupinha, era um menininho lindo Mari!Bjuss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém, Má!! :D

      Menina, jura que sonhou comigo? Agora me senti importante, ahsuahsuha Que máximo isso, amiga!! E menino? Nossa, to-do mundo da família chutando que vai ser menina, hahahaha mas sinceramente, não tenho palpite ainda. Aahh, só porque eu já ia perguntar tudo sobre como tinha sido o parto, hehehe...
      Adorei saber!!

      e você, como está, tudo bem?

      beijo beijo!

      Excluir
    2. Juro juradinho Mari, achei super engraçado sonhar com vc...hehe.Não posso te dizer como foi o parto porque cheguei depois (no sonho...hehe), mas você estava muito feliz, muito mesmo,e tranquila,serena, então acho que foi do jeito que você queria!
      Tô bem sim =)
      Beijos em vcs 2!

      Excluir
    3. Nossa, Má! Você não sabe como me fez bem saber disso! Tudo tem um motivo, né?! Com certeza posso tirar boas coisas do seu sonho ^^
      Muito obrigado mesmo por ter me contado.

      Super beijo!

      Excluir
    4. Magina Mari ;).
      Acho que o meu sonho foi um sinal, sinal de que você pode ficar tranquila, que vai dar tudo certo =)
      Bjuss

      Excluir

Deixe seu comentário e faça uma família feliz :)