segunda-feira, 24 de junho de 2013

Desejos

Como já contei, até agora nada me fez virar a cara e ter vontade de colocar tudo pra fora. Nem perfumes, nem comidas. Nas vezes em que não gosto do cheiro de alguma comida, por exemplo, não tem relação nenhuma com a gestação, porque eu sempre tive isso, o que minha mãe chama carinhosamente de frescura, rs. Mas não, não reclamo disso, foi só uma observação mesmo.

O que eu sinto mesmo é fome. Fala sério, parece que o meu estômago se transformou num buraco negro, nunca chega o fundo do negócio, haha. Nem se eu quisesse eu ficaria mais de três horas sem comer, é uma tarefa impossível. E como não podia deixar de ser, os desejos já deram o ar de sua graça por aqui. E é quando todas as minhas tentativas de manter uma alimentação toda saudável vai pras cucuias.

Dias antes de eu saber do positivo, exatamente numa quinta-feira à noite (me lembro perfeitamente ainda), por volta de umas 21 e tanto, viro pra minha mãe e digo: quero comer canjica agora (e no nordeste é chamado de mungunzá, se eu não me engano; lá, canjica é outra coisa). Ela me olhou com aquela cara de "pronto, endoidou de vez" e não, não fez a canjica pra mim, até porque o processo demora, né, tem que  colocar o milho de molho e tal. Não a deixei em paz até o fim de semana. No domingo, ela finalmente fez a tal da canjica pra mim. Foi o dia em que teve um almoço de família aqui em casa (e o dia que eu fiz o primeiro teste de farmácia), e o plano era eu me esbaldar na delícia depois que todos fossem embora (egoísmo, a gente vê por aqui - que também é sinônimo do desejo: querer tudo só pra si). Pois não é que minha tia viu a panela cheia e, louca que é por canjica, levou metade da panela pra casa dela? Ok, repartiremos, então. Como eu digo quando como uma coisa boa e quero mais "não deu pro buraco do meu dente" o que sobrou aqui, ainda mais que não era só eu comendo, mas tudo bem. Depois ainda rolou canjica mais umas duas vezes, e então passou (mas sabe que agora, clima de festa junina, é uma boa pedida também? Vou providenciar isso, rs).


                                     

Também antes de saber que Bolota já tinha fixado residência em mim, me vi doida de vontade de tomar sorvete de creme. E esse nem é o meu sabor preferido, apesar de eu ser alucinada por sorvete. Mas não um simples sorvete de creme. Tinha que ser um sorvete de creme, com cobertura de caramelo e paçoquinha em cima, servido na taça. Se não fosse assim, não servia. Aconteceu duas vezes antes de eu saber que estava grávida, e mais umas duas ou três depois. Agora passou, mas era engraçado sair procurando lugares que serviam sorvete na taça, rs.

A foto é de um sorvete de banana, mas pensem só no visual, que parece o que eu queria. Foi o mais próximo que encontrei. Fonte: Gnt Receitas

Depois, foi a vez do bolo. Bolo caseiro, comum, sem recheio e sem calda.
Mas até que meus desejos não me fazem comer muito, enlouquecidamente. É assim, eu sinto uma vontade absurda de comer tal coisa, até posso vê-la na minha frente e preciso que seja realizado o mais rápido possível. Mas quando tá pronto, como um pedaço ou dois, e só. No dia seguinte posso comer de novo, mas assim, de uma vez, não como, não. Então eu queria bolo (o primeiro pedaço ainda quente, obrigado), e depois do primeiro pedaço passava. Mas depois de uns dias - uns dez ou quinze - eu sempre quero de novo. Como estou tentando evitar a farinha branca, comprei a integral. Ontem minha mãe fez um bolo de cenoura integral (farinha integral e açúcar demerara) com calda de brigadeiro mole que meu Deus do céu, divino!! Esse fugiu do meu desejo e teve calda (mas podemos só focar na parte integral? Grata, rs), mas não era exatamente um desejo genuíno, então tudo bem.

Foto da maravilha dos deuses, o bolo de cenoura integral com calda de brigadeiro mole.

Daí teve um dia que eu queria torta de frango, daquelas de liquidificador, na janta. Não tinha ovo e, tamanha era a minha vontade, fui comprar na hora, rs. Foi minha janta e meu almoço do dia seguinte. Delícia, delícia. Depois de um tempo, a Dani postou uma receita maravilhosa, um pouquinho diferente da torta da mami e não teve jeito, fiz a minha amada mãe fazer a torta pra mim no fim de semana seguinte. Porque eu queria ter certeza que daria certo, né, não me arriscaria a fazer, não. E foi sucesso absoluto aqui em casa. Beijo, Dani, sua linda!! Bolota, eu e o povo aqui de casa agradecemos.

A maravilhosa torta da Dani, feita pela minha mãe

Esses dias eu quis comer uma fatia de melancia, daquele jeito lindo que suja toda bochecha. Não servia cortadinha no prato. Mas foi uma coisa passageira, rs.

E acho que foram esses, por enquanto. O que eu acho até muito, considerando que amanhã eu faço 12 semanas.
E sim, a minha mãe faz todas as comidas e guloseimas que eu quero, porque ela é simplesmente a melhor cozinheira que eu conheço. Sem esse negócio de comida de mãe, todas as pessoas que provam, aprovam muito a comida da minha mami. Desde as coisinhas mais simples, arroz e feijão, até pratos bem elaborados e super chiques e difíceis, ela faz e arrasa sempre. Eu, em contrapartida, cozinho o necessário, haha. Não é exatamente a minha praia, apesar de eu achar lindo quem sabe mesmo cozinhar. Às vezes marido e eu assumimos o comando do fogão e cozinhamos juntos (leia-se: ele cozinha e eu auxilio, rs), mas ela gosta mesmo de fazer isso, de verdade, então a cozinha é todinha dela.

E eu ainda nem dei trabalho pro marido, querendo algo super exótico de madrugada. Estou muito legal com ele, sim ou com certeza? haha
Por falar em coisas exóticas, meu pai foi pra Minas sexta-feira e eu já encomendei pra minha vó, que mora lá e aqui, dependendo da época do ano, rs, para fazer pra mim doce de buriti. Eu amo esse doce, e parece que agora é época da frutinha, então tenho que aproveitar, rs. Pra quem não sabe, buriti é um fruto, predominante no norte e nordeste do país, mas também encontrado em Minas Gerais, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Diz que tem aqui em São Paulo e no Rio, mas encontro muito pouco. Lá na nossa roça, em Minas, tem muitas árvores, então é mais especial ainda.


   
Buriti no pé e o fruto. O doce é feito com a parte amarela. E é de comer em pedaços, como se fosse rapadura.

E é isso! Chega de falar de comida. Vou partir pra ação. Hora do almoço e minha Bolota já tá manifestando sua insatisfação com a demora da comida (ela tá super na onda dos protestos, ó céus!).

E as gravidinhas de plantão, também já tiveram seus desejos? Conta pra mim!

9 comentários:

  1. Amo canjica de São Paulo!! rs No Nordeste Canjica pra eles é Cural pra nós!!!
    Enfim, comidas muito boas!!! Que post mais sugestivo esse seu hein Mari!!! Fiquei querendo tudo, inclusive o doce de buriti que moro em Sampa e nunca nunquinha comi¬¬ hahaa
    Mais é isso mesmo, aproveita e come tudinho que seu desejo/bolota pedir!!!
    Bjus
    http://seraquevousermae.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Mari, que bom que não tem enjoo, por aqui começaram os vômitos (argh!) e bem quando todos começam a melhorar dos enjoos eu piorei, mas não reclamo não #mãeétudolouca...hehe!
    O primeiro desejo que tive foi bolo de abacaxi e depois caldo de mandioca, desde então só tenho desejos de coisas salgadas, enjoei total de doces.
    Já experimentei doce de buriti e não gostei não muito azedo para o meu paladar!Rsrs
    Acho que eu era muito mais lombriguenta antes de ficar grávida!
    Bjuss p/vcs!

    ResponderExcluir
  3. Depois venho comentar mais, mas preciso contar que a gente também tem desejo no puerpério, viu?
    bjs

    ResponderExcluir
  4. hahahahaha morri de rir do seu texto, menina!!!!

    que bom que a torta foi útil, fico feliz em agradar a sua Bolota!!!

    Eu tive desejo de pamonha a gravidez inteira, tipo, se me dessem pamonha doce com queijo todos os dias, eu jantaria e almoçaria essa iguaria mineira (é mineira, né?). Só que tinha um detalhe: tinha que ser a pamonha que uma senhorinha vizinha do meu avô, lá em Minas (Araguari, perto de Uberlândia) faz. Meu pai ia visitar o meu avô e trazia um monte de pamonhas para congelar. Findado o estoque, já me providenciavam mais!!!

    =)

    Grávidas, que maravilha...

    Beijos grandes, querida!!!

    ResponderExcluir
  5. rsrsr só coisa boa esse bb quer rsrs !!! não vejo a horas dos meus desejos bjs!!!!

    ResponderExcluir
  6. Má eu sempre fui daquelas que passa o dia com bolacha de água e sal e salada de tomate sem sentir fome, mas agora...nem eu me conheço de tanta fome que tenho a ponto de ter que levantar de madrugada para tomar leite.
    E meu primeiro desejo foi esse final de semana e acredite foi canjica também, kkkkkkkkk
    Nossa era aquela vontade de dar água na boca e minha sogra fez!!

    Vamos aproveitar bastante essa fase!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Mas nossa, até o fim dessa gravidez quero ver o tanto de desejo tu vai ter haha
    Imagina eu, que já sou "desejante" agora, quando grávida nem quero ver haah to sempre querendo comer algo, inventando alguma coisa, querendo alguma coisa diferente. Sou fácil não heheh

    E esse negócio da cozinha, sou assim também. Não me identifico muito não, prefiro lavar a louça depois hahaha Lá em casa é assim, maridinho cozinha quase sempre (porque ele gosta, assim como o teu) e eu fico com a louça, e a sobremesa as vezes. Temos que nos adaptar né. Não é porque somos mulheres que temos que amar cozinhar...minha avó que queria que eu fosse assim hehehe

    Bolota cada vez mais gordinha então. Continua alimentando bem ela, que vai nascer uma bolotinha mesmo, cheia de saúde.

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Menina, a canjica de vocês a gente chama no Piauí de mingau de milho, mas em outros estados é mungunzá mesmo e QUE SAUDADE disso agora. <3
    Eu , bem no início da gravidez, era chegada em coisas azedas, muito especificamente sorvete de limão. Depois, quis comer tapioca TODO dia. Café da manhã, almoço e jantar. Até que enjoei. Já tive também um de querer bolo de chocolate com recheio e cobertura, tipo bolo de aniversário. Só servia assim.
    Agora o mais difícil de todos foi cuscuz. Dado que moro em Portugal atualmente, em nenhum lugar que eu tentava tinham os benditos flocos de milho pra fazer cuscuz. Rolou até uma campanha no Facebook pra quem achasse me dizer onde vendia. Um dia minha amiga achou e me "deu deu de presente". Foi como o mar se abrindo. hahahahahahaahahahahaha
    Ultimamente não tenho tido mais nenhum e minha fome também tá indo pro beleléu. Malu tá crescendo e apertando o estômago.
    Aproveita essa mãe aí cozinhando porque, Jesus, que saudade da minha aqui!
    Beijos e boa semana!

    ResponderExcluir
  9. Ai, Má...nem fale em desejos!
    Tô há uns dias sonhando com pão doce de padaria (daqueles com melequinha amarela e coco em cima) mas não acho nada aqui no Chile que resolva o desejo... #comofaz??? hahaha

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário e faça uma família feliz :)