quarta-feira, 17 de julho de 2013

BC: "O que a gravidez já mudou na minha vida?"

Dia de blogagem coletiva é sempre legal!
E eu preciso registrar que está sendo muito bom mesmo participar disso. Porque nem sempre eu sei as respostas dos temas assim na ponta da língua, ou melhor, dos dedos. Daí eu paro pra pensar um tiquinho e acaba sendo um bom exercício (também de memória, porque né?!, grávida esquece tudo, haha).

Do alto das minhas 14 semanas e tanto, acho que o que a gravidez já mudou na minha vida foi a questão de ouvir mais meu próprio corpo. Tanto no sentido mais literal, descansando quando ele pede, comendo e tomando água quando ele avisa, indo mais rápido quando vejo que dá (ai como eu sou obediente, rs), quanto no sentido mais subjetivo, de confiar mesmo.
No comecinho, antes de fazer qualquer exame ou sequer ir à primeira consulta pré-natal, eu tinha algum medo. Medo de perder o bebê, medo de ser ovo cego, medo - veja só - de nem estar grávida. Apesar de já ter contado logo de cara pra todo mundo (a família estava em êxtase!), parece que eu não queria fazer festa a todo momento, com medo de acordar de um sonho, sabem? Eu tinha medo de dar "tudo errado" (e era um medo mesmo, não um receio leve) #dramamodeon
Fiz o primeiro ultrassom e, ao invés de confirmar que eu estaria de 6 semanas (de acordo com a DUM),   constatou-se que eu estava na semana 4! Não entendi lhufas (não da parte de ter ovulado mais tarde, só uma confusão momentânea mesmo) e até fiquei meio chateada, confusa. A confirmação que eu queria, ouvir o som do coraçãozinho batendo forte, não veio, na tela eu só vi o saco gestacional (e aí eu passei a chamar o bebê de Bolota, own!). Foi uma sensação estranha, de voltar no tempo e ter que viver tudo de novo: mais duas longas semanas pra chegar onde eu achava que já estava. O médico que fez o exame disse pra eu voltar dali duas semanas, pra ver a evolução e tal.

Depois de aceitar que tinha voltado duas casas no jogo, me atentei para uma coisa linda, acompanhem só: eu descobri a gravidez num domingo à noite, certo? E fiz o primeiro ultrassom na quinta-feira da semana seguinte, não da mesma em que descobri a novidade; ou seja, quase duas semanas de espera. Se no dia do ultrassom eu estava de 4 semanas, então descobri o positivo com 3 semanas (com alguns dias percentuais, para mais, ou para menos)!! Super cedo, na opinião geral do povo aqui de casa. Isso não é lindo demais da conta, uai?
E se levarmos em conta que eu já tinha uns "sintomas" e um pressentimento forte ainda antes disso, praticamente podemos dizer que meu corpo já me mandava sinais de que tinha um morador novo aqui desde que Bolota fez sua primeira multiplicação celular, haha. E se não é pra confiar com uma dessas, então não sei quando vai ser...

Com isso, passei a acreditar mesmo no meu corpo, no meu feeling, no poder natural mesmo que possuímos.
Depois, quando aconteceu aquele pouquinho de sangramento, eu queria muito, sim, ir ao médico. Mas confesso que, no fundo, estava até tranquila (em termos). Eu queria saber o porquê daquilo, claro, mas parece que já sentia que estava tudo bem com a minha Bolota, que ela é forte e bem saudável, e que está no lugar mais seguro que há. E que esse lugar sou eu, ou seja, algum poder o meu corpo possui pra dar conta do recado, né?! ;) Eita, natureza linda, essa em que estamos inseridas.
Tanto que, depois que fiz o ultrassom que me confirmou 10 semanas (e foi ótimo, porque ainda não tinha ouvido o coraçãozinho, não quis voltar pra refazer o ultra com 6 semanas, estava deixando rolar, já no pensamento de acreditar mais em mim), tive sangramentos bem pequenos mais umas 2 ou 3 vezes, mas realmente não me preocupei em nada com eles. Eu apenas sabia que devia ter passado da conta no stress e cuidava mais de nós.

Agora, meu próximo encontro com baby pela telinha será só no finzinho de agosto, no morfológico do 2º trimestre. Dá uma saudadezinha de ver tudo ali em tempo real? Sim, claro! Mas eu sei que está tudo bem, aprendemos a nos conectar de outra maneira agora. Meu corpo vai me avisando sobre o que tem que ser feito e eu escolhi acreditar piamente nele.

13 comentários:

  1. Tô começando a ter certeza que somos gêmeas grávidas! hehehe eu estou um poço de serenidade e consciência corporal! hehehe q engraçado!!!
    Bjoks
    carol
    www.meuparasita.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caroooll! Que lindas nós duas gêmeas! haha
      Eu li seu post cedinho, mas tava pelo cel, na rua, e não consegui tempo de comentar. Achei MEGA eu também. É que não escrevi aqui, mas tô super tranquila também, e sempre fui ansiosa. Incrível isso! Precisamos nos ver! :D

      Beijão!

      Excluir
  2. Que lindo, Marina...
    Bolota e mamãe em total sintonia...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tão bom, Mari!! :)
      é um momento mágico esse, tô adorando estar grávida, hehe

      Beijinhos!

      Excluir
  3. Eita mamãe evoluída essa!!! rsrs
    Tranquilidade e conexão não tem preço... Seu caminho tá sendo tão bonito e natural que dá orgulho de ler!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tô adorando essa tranquilidade, Gabi!
      eu era bem ansiosa antes, acho que a Bolota veio pra me acalmar mesmo (além de todas as outras coisas, claro, rs)

      E rezo pra que esse caminho continue assim o mais o natural possível... :D

      Beijo beijo!

      Excluir
  4. Mari, até parece que seu texto estava falando de mim!
    Graças à Deus esses sustos só serviram para nos fortalecer e empoderar!
    Será que nossos babys nascem juntos?
    Bjuss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Má! Esses sustos nos empoderaram mais. Tô adorando isso, rsrs
      A nossa DPP é de só um dia de diferença, hein! Muuuita chance de nascerem juntos, já pensou que legal? :DDD

      Beijão!

      Excluir
  5. AHHHH coisa linda essa grávida. Admiro muito as gestantes assim sabia? Que conseguem "enxergar" o próprio corpo, que conseguem identificar os sinais, entender o que ele demanda. Isso é tão importante né? Vejo tanto grávidinha desesperada as vezes, com qualquer coisinha, não confiando no próprio corpo...
    Quando crescer quero ser assim que nem tu hehehe
    Quero poder ver e sentir através do meu corpo, mais do que na tela de um ultrassom. Porque aqui tu enxerga só naquele momento, mas o bebê está dentro de ti o tempo todo. Incrível o corpo humano. Lindo.

    Beijoos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E eu tô admirada de eu estar assim tão calma, ahsuahsuhausa eu era ansiosa antes, agora tô bem tranquila mesmo! E assim a gente curte mais, aproveita mais :)
      E se conectando com o corpo, e com o bebê, fica ainda melhor! É uma confiança diferente, forte!
      E ó, tenho certeza que você será toda trabalhada no empoderamento, viu? ;)

      Beijo beijo!

      Excluir
  6. Muito legal essa conexão com o nosso corpo, com um ser tão pequeno que geramos né??!!

    Amei!

    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É demais mesmo, Suzy! Uma pessoinha tão pequena, e que a gente já se apega tanto, né?! :) Muito bom isso!

      Beijinhos!

      Excluir
  7. Que lindo! Queria ter essa calma toda também, mas acho que esse gene faltou em mim... Rs!

    Bjs

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário e faça uma família feliz :)