sexta-feira, 26 de julho de 2013

Dia dos avós

Hoje, 26 de julho, comemora-se o dia dos avós.
Eu tive a sorte de conhecer e conviver com os meus 4 avós. Não morávamos na mesma cidade, mas sempre nos víamos quando eu morava em Minas. Os pais do meu pai moravam na roça - a gente não consegue usar outra palavra, nem sítio, nem fazenda: é roça mesmo -, a mesma casa onde meu pai nasceu, diga-se de passagem, rs, e os pais da minha mãe numa cidadezinha há uns 180 km, mais ou menos (e também perto da roça). Então vários fins de semana da minha infância foram com eles, vários mesmo - e mais as férias escolares, óbvio. Sem contar quando ficavam uns dias lá em casa também. Foi uma delícia conviver com eles sempre por perto; aquelas coisas que só eles faziam: arriar o cavalo pra eu andar (ai que saudade de andar à cavalo!), bolo, biscoitos em variadas formas (minha avó fazia em formas de bichos só pra mim, rs), fogão de lenha, as histórias do meu avô materno. São muitas lembranças, uma memória afetiva muito forte.
Em 2006, sofri minha primeira grande perda: meu avô paterno foi morar em outro plano. Foi bem difícil mesmo, pra todo mundo, ele era uma pessoa realmente incrível! Minha avó, então, veio morar aqui em Sampa, na casa da minha tia, e hoje alterna entre idas e vindas, da roça pra cá, de cá pra roça, dependendo das demandas que surgirem por lá. E também é ótimo tê-la aqui pertinho, a 30 minutos de distância, de carro. Meus avós maternos continuam na mesma casinha, na mesma cidade, e hoje eu os vejo bem menos, uma vez por ano. Meu avô perdeu a visão há uns anos, mas tem uma saúde ótima, e minha avó bambeia de vez em quando, mas a véia é dura na queda (e está boa o suficiente para inventar uns nomes bem ~diferentes~ para Bolota, haha).

E por falar em avós, eu não poderia deixar de falar dos avós de Bolota, meus pais.
(Quer dizer, também tem os pais do Cleber, que são ótimos também, claro. Eles são avós há quase dois anos e Bolota será o segundinh@. Mas hoje eu quero falar dos meus pais mesmo).

Meus pais também serão avós pela segunda vez. A primeira aconteceu há exatamente 5 anos atrás. Exatamente, minha afilhada nasceu no dia dos avós, olha que coisa mais legal, rs! Hoje ela comemora mais um ano de vida - e parece que foi semana passada que estávamos lá em Aracaju pro nascimento dela - e, só pra começar a ilustrar o quanto meus pais babam por um neto, meu pai pegou um avião ontem à noite, "só" para passar o aniversário com ela, e também porque todo ano tem uma festinha na escola em homenagem ao dia dos avós e, como eles nunca estão presentes, ela estava triste e disse que não ia participar. Pode isso? Derreteu o coração de todos nós do vovô (minha mãe só não foi por causa do trabalho) e hoje ele já ligou duas vezes só pra contar como andam as comemorações por lá ^^

Eles são o tipo de avós que... fazem tudo que a neta quer. Hahaha. Óbvio! Minha mãe diz que é ótimo, porque ela já criou dois, e agora pode mimar os netos à vontade. Mas assim, eu preciso dizer que minha mãe é uma das melhores pessoas que eu conheço para lidar com crianças. Ela tem uma super paciência (mega mesmo), senta no chão, brinca, canta, conta histórias. Sabe lidar com os pequenos como ninguém. Então assim, eles podem até fazer a maior parte das vontades das crianças, mas elas também fazem as vontades dos avós, entendem? Se estão correndo sem rumo, aprontando demais, ou entediados, logo minha mãe inventa uma brincadeira ou outra atividade para canalizar aquela energia toda para uma coisa legal. E eu não sei exatamente como ela faz isso, mas, como por um milagre, as crianças ficam bem calmas, mesmo os mais agitados. Acho isso incrível! (e preciso aprender, haha)
Meu pai já é de "mimar" mais, não gosta de ver chorando, logo quer saber o que pode fazer, dá várias guloseimas, deixa brincar com o celular e com a impressora (e acha lindo, haha), leva pra passear... essas coisas de avô, rs.

Eu fico muito feliz por saber que Bolota vai crescer perto deles. Logo teremos uma casa só nossa, se Deus quiser, mas meus pais serão muito presentes do mesmo jeito, tenho certeza.
E claro que eu já sei que alguns contratempos vão surgir, porque nós temos algumas diferenças nas questões de criação, mas já falo algumas coisas aqui em casa, para não os pegar desprevenidos, digamos assim, rs (mas esse também nem é o assunto agora, vamos focar na parte boa, rs). E eles são os avós, né?, já fizeram a parte difícil do processo, agora querem curtir, rs.

Minha mãe e Helena (foto de dezembro de 2012)

Meu pai com a netinha - o sorriso ~natural~ deve ser de família, rs.
(foto também de dezembro)



E vocês, têm boas lembranças dos seus avós?

8 comentários:

  1. Que post lindo! Bolota tem muita sorte de vir em uma família tão amorosa como essa. :)

    Eu também tenho ótimas lembranças dos meus avos... Delicia que é casa de vo, ne?

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Loroca!
      Bolota é um bebê de sorte (e nós também somos, por ele ter nos escolhido, hehe)
      Casa de vó é mesmo uma delícia!! :)

      Beijinho!

      Excluir
  2. Adorei o post, Marina.
    Bolota é mais que sortuda de ter esses avós tão carinhosos e dedicados.

    Eu, infelizmente, não conheci meus avós maternos. Sou uma das poucas primas que não teve contato algum com eles. Os meus primos mais velhos vivem me fazendo "inveja" por causa disso. Mas, tenho os meus avós paternos, baianos, e que vieram pra São Paulo há alguns anos. Sempre que vou lá, é uma delícia; principalmente por causa do sotaque. E, sinceramente? Comida de vó é a melhor que existe!!!!

    Depois, se quiser, escreva um pouco sobre como você lida/lidará com opiniões divergentes das avós. Eu sei que, quando chegar a minha vez de engravidar (em pelo menos 5 anos!) minha mãe e eu teremos muitas divergências em questão de escolha de parto, amamentação, complemento, comida, filmes e música. Quero nem ver...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Andreza! Obrigado pelo comentário!
      Comida de vó é mesmo das melhores coisas do mundo, hehe.

      Pode deixar que escrevo sobre isso, sim, assim que tiver um tempinho e reunir uns "causos" sobre o assunto, haha.

      Beijo beijo!

      Excluir
  3. Eu tenho um carinho mto grande pelos meus avos, são figuras mto importantes na minha formação!
    Quero que meu filho tenha esse amor tb !!

    Que bom que a bolota tb sentirá esse amor !

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem isso, Suzy! Eles tem papel muito importante na nossa formação!
      Obrigado pelo comentário!
      :))

      Beijinho!

      Excluir
  4. Mari, AMO demais meus avós e não sei o que seria de mim sem eles.
    Estão comigo em todos os momentos importantes e sempre que preciso, são mais que avós, são dois anjos.
    E meus pais já amam demais o Anthony, minha mãe vive conversando com ele e fazendo carinho na barriga e meu pai tá em êxtase, ele sempre quis um filho menino, mas vieram duas meninas, então agora ele tá realizando o sonho dele =)
    Linda família!
    Bjuss

    ResponderExcluir
  5. Ah!!! Que saudade da minha avó!! Que na verdade foi quem me criou. Ela já faleceu, mas até hj é a figura forte da família, a minha inspiração para tudo na vida!!! <3

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário e faça uma família feliz :)