terça-feira, 6 de agosto de 2013

O Renascimento do Parto - O filme



A Folha de São Paulo organizou uma pré-estreia do filme O Renascimento do Parto, juntamente com o Espaço Itau de Cinema - Frei Caneca, ontem, dia 05 de agosto.
Eu havia visto esta notícia na internet, mas nem planejava ir. Como a estreia para o público está marcada para o dia 09, que é o dia do meu aniversário, e como eu não contribuí com o valor que dava direito à ingressos da pré-estreia para benfeitores e convidados (que é hoje, dia 06), já havia decidido que era nesse dia que eu iria, como um presente. Mas aí a minha prima viu a notícia também e me chamou para ir com ela. Claro que topei, na hora! Adoro uma mudança de planos. Ela nem sabia ao certo como seria, não conseguiu ver o trailer, mas eu contei pra ela como era, falei que eu tinha contribuído para ajudar o filme a chegar nas telas de cinema, e então nos animamos ainda  mais. Combinei também com o Cleber - que trabalha lá perto - e fomos.
O evento - com um debate logo após a exibição do filme, com a presença do diretor do filme Eduardo Chauvet, da produtora e roteirista Erica de Paula, da pediatra e neonatologista Ana Paula Caldas e da ginecologista e obstetra Carla Andreucci Polido - foi gratuito. Os ingressos seriam distribuídos a partir das 19:00, por ordem de chegada. Sabendo disso, e sabendo que provavelmente iria estar bem cheio, combinamos de chegar cedo, para garantir um lugar na fila.
Pois bem, chegamos, minha prima e eu, às 18:00. Ainda não tinha ninguém esperando, então descemos para comer alguma coisa.Quando voltamos, meia hora depois, já tinha uma ou duas pessoas, mas de forma meio aleatória ali pelo lugar. Perguntamos para atendente onde seria a fila e a iniciamos. Sim, fomos exatamente as primeiríssimas da fila! Ingresso garantido nós teríamos. Algumas pessoas foram se juntando e, alguns poucos minutos depois, já tinha muita gente. Parece que combinaram de chegar todos juntos. O Cleber chegou um pouco depois e se juntou a nós. A fila foi crescendo, o tempo foi passando e já era possível sentir um misto de animação e ansiedade no ar - ou seria em mim?
Com ingressos em mãos, esperamos mais uma horinha e finalmente havia chegado a hora de assistir, na íntegra, aquele filme que eu havia esperado tanto para ver.

Não vou fazer spoiler (pelo menos vou tentar). Até porque eu sei que muitos aqui verão o filme na pré-estreia de suas cidades, ou na estreia, ou em qualquer outro dia. O que eu preciso dizer é: o filme é sensacional! É forte, é intenso, é lindo, é emocionante. Muitos sentimentos juntos. Intensidade. Sinestesia.
Comprei um pacote grande de pipoca e suco de maracujá, e foi ótimo, rs.
Para as pessoas mais sensíveis com cenas de cirurgia e intervenções, como eu, é imprescindível que não se vá sozinha. Eu fui com duas pessoas mesmo porque sabia que seria complicado nessas partes. E eu vi muito pouco disso, porque fechava o olho e comia pipoca quando a coisa ficava mais difícil pra mim - tanto que algumas legendas eu nem li. Eu via algumas cenas e, instintivamente, colocava a mão na barriga, querendo proteger o meu bebê de toda e qualquer coisa que possa nos fazer mal, que nos afaste do processo natural de nascer.
O mais impressionante foi que eu não chorei.
Sempre chorava, pelo menos um pouquinho, quando via o vídeo promocional. Fui preparada para sair com os olhos vermelhos e o rosto inchado. Mas não aconteceu. O que não significa que eu não tenha me emocionado, muito pelo contrário. Fiquei estarrecida em muitos momentos. Chocada com algumas cenas, muito comovida com várias falas das pessoas que deram seus depoimentos. Sem contar os profissionais brilhantes que falam muitas verdades também. Mas as lágrimas não chegaram a cair. Foi tão intenso pra mim que, quando acabou, eu mal consegui me mexer na cadeira, minha cabeça pulsava de vontade de ver logo uma mudança, e ao longo do filme eu fui sentindo um calor enorme. Ainda bem que teve o debate depois, assim não precisei levantar.

Para mim, que estou envolvida até o pescoço com assuntos de humanização e respeito ao parto e nascimento, não foi exatamente uma surpresa. Claro que a gente já sabe muita coisa que foi dita ali. Mas ver um panorama bem amplo da situação, todos os fatos juntos, bem grande numa tela inteira de cinema, é muito forte. É inevitável o pensamento de que é preciso mudar, urgentemente, o cenário obstétrico brasileiro atual. Nunca vou deixar de me chocar com alguns casos. Não dá para lutar, por qualquer causa que seja, com indiferença. É por achar que muita coisa é normal e aceitável que chegamos onde chegamos. E partindo do pressuposto de que todas as pessoas nascem, este é, sim, um assunto de toda a sociedade.
Não é um problema com uma causa só. Como bem disse a parteira Ana Cristina Duarte, não existe um lobo mau da história, o problema é multifatorial. Ou seja, é preciso trabalhar em várias frentes para conseguirmos um bom resultado a longo prazo - porque nada vai mudar da noite pro dia, não sejamos ingênuos.

Sobre o debate, foi rápido, cerca de 40 minutos, mediado pela repórter especial da Folha, Claudia Collucci. Ela fez perguntas para a mesa, e depois abriu para a público também. Na minha opinião, foi bem rico, apesar do pouco tempo. A obstetra Carla Andreucci é muito esclarecedora (e adora falar, rs). A Ana Paula Cladas também; me senti privilegiada por estar ali, participando daquilo tudo.
Além delas, estavam na sala, também, o doutor Jorge Kuhn, a Ana Cris Duarte e mais um monte de gente linda do movimento da humanização. Agora imaginem, quando eu vi o doutor Jorge na fila, foi quase como se eu tivesse visto um artista, fiquei muito feliz, rs. Porque eu sei da importância de cada um deles dentro do movimento, respeito muito tudo que eles dizem, confio muito, admiro demais.
Algumas pessoas falaram, e foi bem legal também ver as dúvidas serem respondidas ali na hora. Um médico obstetra (que faz parto há 40 anos, como ele disse) também falou, falando o lado dele, mas também que é um caso complexo, etc. A Ana Cris falou lindamente depois, a respeito do que ele falou, e nossa, todas as pessoas deveriam ter a oportunidade de ouvir essa mulher, ela é muito clara e muito direta. Foi aplaudida no final. E aí acabou o tempo.
Infelizmente estávamos de ônibus, e já estava tarde, então tivemos que ir embora rápido, nem deu tempo de dar um abraço nela e cumprimentar as outras pessoas.

Foi uma experiência muito enriquecedora. Uma aula mesmo.
E ainda pretendo ver o filme mais uma vez, com a minha mãe.

E se eu puder dizer apenas uma coisa às gestantes, eu diria: informe-se! Você tem direitos e eles devem ser respeitados em qualquer lugar, seja no SUS, ou na rede particular. Leia, frequente grupos, cerque-se de pessoas com informação de qualidade. Empodere-se. O corpo é seu. O parto é seu.

E não deixem de ver o filme - que foi selecionado para o 6º Los Angeles Brazilian Film Festival também já foi confirmado a ser exibido DocBrazil Festival - China 2013. Ele vai abrir muitas portas, acredite.

20 comentários:

  1. Agora que vi o filme promocional e me arrepiei.

    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cacau, é bem isso mesmo que você disse: arrepiante! :)

      Beijo!

      Excluir
  2. to louca pra ver o filme!!!
    agora então mais do que nunca

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Erika, vá sim, é demais de bom!
      leva todo mundo com você, rsrs

      Beijo!!

      Excluir
  3. Respostas
    1. Gabi, a boa notícia é que eles querem lançar em dvd depois que sair de cartaz. Pensa se não vai ser lindo? hehe
      Vou dar de presente pra todo mundo, haha

      Beijo beijo!

      Excluir
  4. Já estou ansiosa pra assistir! Vou sexta-feira, na estréia, e vou levar o maridinho junto, rsrs! :)
    http://embrevemamae.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal, Talita!
      E é ótimo levar os maridos, eles saem todo empoderados também, rs :)
      agora vou levar minha mãe, que de tanto eu falar tá com vontade de ver, haha

      Beijo!

      Excluir
  5. ai, eu tô tão ansiosa pra ver! em bh vai estrear só no dia 23! não vejo a hora!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daqui a pouquinho você vai ver como é lindo - e estonteante - esse filme, Juliana!
      Beijo!

      Excluir
  6. Respostas
    1. Graci, vá sim!
      É ótimo assistir sendo ainda tentante, vale muito a pena mesmo! ^^

      Beijo!

      Excluir
  7. Chorei!!!! Qro ver o filme...

    bjs,

    http://meupequenoreidavi.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito emocionante, Marcela!
      Não deixe de ver mesmo.
      :)

      Beijinho!

      Excluir
  8. Ai gente, esse filme merecia um lançamento internacional bem aqui no Porto, isso sim! hahahahahahaha
    E esse debate? Muito amor define!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ô se merecia, viu Romana!
      Vai pra Los Angeles e pra China, mas tinha que ir pra todo lugar, haha
      Cara, o debate foi demais!! Saí de lá com a sensação de estar no caminho certo, sabe? :)

      Super beijo!

      Excluir
  9. Olá!!! Acho que a primeira vez que escrevo no seu cantinho, mas já acompanho desde o comecinho da gravidez. Adoro seus textos, sempre cheios de detalhes e como você sou a favor do parto natural humanizado... :)
    Eu já vi o promocional varias vezes!!! E com certeza vou assistir o filme na amanhã... Quanto tempo mais ou menos dura o filme?
    Bjs

    http://meumilagrerealizado.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Adriana!
      Obrigado pelo comentário!

      O filme tem duração de 90 minutos... e quando acaba a gente fica querendo mais! rsrs
      Não deixe de ir, é imperdível!

      Beijo!

      Excluir
    2. Eu vou hoje sim... Onde está passando? Compra o ingresso na hora? Que horas é a sessão? rsrsrsrs São tantas perguntas né???? Bjs

      Excluir
  10. Amei este filme.... fui na estreia aqui em Campinas, minha cidade! Muito emocionante... Fiquei feliz por ser um filme brasileiro, já tinha acompanhado outros vídeos na discovery H&H, e foi do mesmo genero. Gostaria muito que a realidade no nosso país mudasse e que os planos de saúde incentivassem seus médicos a optarem por um parto mais humanizado! Porque afinal, é isso que a medicina de verdade prega!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário e faça uma família feliz :)