segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Habemus ciclo

É isso, minha gente.

Não tem mesmo como fugir: somos feitos de ciclos.

Eu não fazia a mínima ideia de quando as coisas voltariam ao seu devido lugar.
11 dias de sangramento ininterrupto e mais 4 de escapes - foi assim no mês passado. Mas isso não é ciclo, né. Era o meu corpo trabalhando, fazendo uma limpeza poderosa.
E claro que depois desses dias todos, eu não queria nem pensar nesse assunto; tudo que eu queria era um pouco de paz e tranquilidade. Fiquei bem desencanada mesmo. Até porque ainda estávamos com a ideia de só tentar lá no final do ano.

Depois comecei a pensar "será que vai demorar quantos dias pra descer de novo?"
Não tinha como saber. Porque pra saber eu precisaria começar a contar de algum ponto, e estava tudo muito turvo ainda. Na minha cabeça que inventa as próprias verdades, pra mim tudo "começou" de novo quando findou de vez os sangramentos. Uma espécie de "ciclo ao contrário" - porque a gente sempre conta a partir do 1° dia da última menstruação, e em algum momento eu decidi que contaria a partir de quando estivesse limpa (nota da autora: essas contas se deram só semana passada, quando peguei o calendário pra dar uma conferida nos dias mesmo). Pra mim, aquilo fazia parte do passado, não dava pra contar aqueles dias todos como parte de um próximo ciclo - ainda era parte do que eu estava elaborando, de outro capítulo da minha vida, que começou em abril e terminou em agosto. Fim. Acabou sangramento? Ok, agora vamos começar a vida nova, renovada, mas ainda sem contas, porque essa ideia é coisa da minha cabeça e eu não posso me basear inteiramente nisso, era só pra colocar as coisas em perspectiva mesmo.

Mas os dias foram passando e eu fui notando umas mudanças.
Nas duas últimas semanas eu tive a maior tpm (de tamanho, quero dizer) da minha vida.
Fiquei mais irritadiça, um pouquinho inchada e minha pele - que se rebelou contra mim depois de tudo que passei e resolveu que essa era uma boa hora para ficar oleosa (raiva, raiva, raiva!), ficou ainda mais horrível. Já disse que fiquei com raiva dessa parte? Daí já comecei a pensar: estou de tpm. Não sei quando vai vir, não sei quanto vai durar, mas é oficial: estou de tpm.
Semana passada comecei a me sentir muito feia. Feia, inchada e chata. Nem eu me aguentava mais.
Eu sabia que estava perto, tem um sinal específico do meu corpo que sempre me avisa quando está pra vir - só faltava saber quando.
Nesse sábado, fiquei imprestável. Acordei me sentindo mal, pesada, com vontade de me enfiar debaixo das cobertas e só sair na semana que vem. Minha cabeça doía e parecia que eu usava roupas muito pesadas (mas era só pijama), porque eu me sentia limitada mesmo, sem contar a vontade de chorar a cada minuto. A ficha foi caindo aos poucos, fui me lembrando de um tempo longínquo, em que as coisas eram exatamente assim, difíceis. Fui dormir sabendo que podia ser a qualquer minuto. E domingo acordei com a novidade.

Exatamente no 33° dia, contando a partir do primeiro dia sem sangramento.
E vai parecer mentira, mas 33 dias é a média de duração dos meus ciclos sem anticoncepcional (quando eu usava eram 28 dias cravados). Foi exatamente isso que durou o que precedeu o positivo, inclusive (acabei de conferir). Ainda estou meio chocada com essa constatação, apesar de todas as provas que já tive sobre ser tudo muito perfeito e tal.

Percebo que coisas boas e horríveis podem acontecer, que uma tempestade de gelo pode cair no seu telhado, mas quando ela passa e você consegue respirar de novo, é bom sentir que certas coisas ainda estão no lugar onde você tinha deixado, com a diferença que agora você tem um novo olhar pra tudo isso.

E esse é o momento em que eu me rendo, jogo a toalha e declaro: natureza, você é foda!


Arquivo pessoal.

9 comentários:

  1. é foda mesmo, né?! =) Coisa mais linda!
    Bem vinda de volta ao novo, Má! Que o recomeço seja de claridade e paz! (e não tô falando de "tentativas", não...tô falando de nova fase de vida mesmo!
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É demais de lindo, Gabi!
      Obrigada pelas boas vindas \o/
      espero que seja um longo período de luz ^^

      Beijo beijo!

      Excluir
  2. Nossa, acho que estou tão surpresa quanto você demonstrou.
    A natureza é realmente muito perfeita, uau!
    Chega a dar um medinho ao constatar que somos tão pequenos e impotentes perante ela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A natureza é demaaaais, Morgana, estou realmente impressionada com isso, rsrs
      e eu gosto de pensar que somos parte disso também :)

      beijinho!

      Excluir
  3. Seus posts são tão demais que eu sempre fico sem palavras para comentar. Mas fiquei feliz! Viva a natureza!

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha Loroca!

      Viva a natureza!

      e muitíssimo obrigada por essas palavras! ^^

      Beijo grande!

      Excluir
  4. Adoro a sua leveza, Marina...
    Bom quando a gente se sente em sintonia com nosso corpo, quando percebemos que a natureza é mesmo fantástica....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada mesmo, Mari querida!

      Tá sendo mesmo muito legal essas descobertas todas :))

      Beijo beijo!

      Excluir
  5. Que os tempos certos continuem vindo.
    =)
    bjs

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário e faça uma família feliz :)