quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Crônica de uma gestação anunciada

Foi dia 06 de outubro  (08DC) que senti algo diferente pela primeira vez. Sonhei com um bebê lindo, com os olhos mais lindos ainda. Depois senti medo de estar totalmente iludida, mas ainda era bom. Nos dois dias seguintes tive uma sensação bem real no meu corpo, uma coisa bem nova. Os dias foram passando e continuei sentindo coisinhas esporádicas, aqui e ali.

Eu tinha um pressentimento forte que ficaria grávida em breve. Na verdade, algumas vezes eu sentia como se já estivesse, mesmo que ainda não tivesse ovulado. Até perguntei no grupo das Tentantes Empoderadas se existe ovulação precoce (e a minha sempre foi tardia), porque eu tinha quase uma certeza mesmo.
Desde o dia 15 (17DC) eu já sentia meus seios diferentes. Doíam, estavam um pouco maiores. Deve ter sido por essa data a ovulação, mas pra mim já era a dor do resultado dela, rs. Uns dias depois doía tanto que parecia queimar, de tão intenso.

Dia 17 eu acordei com a certeza de que estava grávida. Era uma coisa muito doida. Fiquei toda feliz, de verdade. Tomei banho, cuidei da casa, escrevi, fiz todos os afazeres... feliz. Eu nunca tinha sentido isso antes, da outra vez não foi assim, essa certeza toda. Achava que isso era lenda urbana, rs. Tanto é que mais tarde eu voltei pra Terra e fiquei achando que estava surtada, que não podia ser real, que tudo isso ia acabar em um ciclo menor.

Depois ainda teve o dia em que passei mal na rua, voltei pra casa e dormi a tarde toda. Meus pés resolveram que era ok inchar depois de uma caminhadinha. Uma lerdeza sem fim. E a queimação, de vez em quando, nos seios.

Dia 21 eu senti uma cólica e fiquei arrasada. Achei que já tava chegando o dia, que o ciclo ia acabar justamente quando eu estivesse na Bahia, porque essas cólicas só vêm quando está mesmo pra descer. Dois dias depois fui com o Cleber comprar um biquíni e me senti péssima. Eu estava muito inchada, me sentindo feia, e ainda as benditas cólicas. Só que, quando eu cheguei em casa e fui experimentar minhas comprinhas de novo, senti uma baita diferença na minha barriga. Não dá pra explicar. Não que estivesse diferente de horas atrás, quando estava no provador do shopping, eu é que não tinha reparado mesmo, pensando demais nos outros sintomas.

Dia 25 (27DC) chegou e era o dia de ir pra Bahia. Mesma coisa dos outros dias, minha barriga estava mesmo diferente. Ainda por cima, ao acordar, me lembrei que sonhei com a minha mãe dizendo que eu estava grávida, sim, já até podia fazer o teste. Motivo de sobra pra eu ter mais uma pontinha de esperança. Lanchamos no aeroporto, porque eu estava com muita fome. No voo, não foi tão tranquilo. Eu tenho um pouco de medo de voar, minha pressão deve ter baixado, me senti fraca. Foi bem ruim. 
Lá não teve grandes mudanças. Não teve grandes mudanças se eu não mencionar que estava a Dona Redonda, toda inchada, literalmente da cabeça (rosto) aos pés. No domingo eu não almocei direito porque o peixe não desceu bem e, mais tarde, quando estávamos no Museu Náutico, senti uma baita tontura e fui lá pra fora tomar um ar. A Nana até comentou:
- Ih, dona Má, esses enjoos, essa tontura, sei não hein! Ai ai... - Nem me fale... ai ai!
Não sei como consegui subir (e principalmente descer!!) aquela escada até chegar lá em cima no Farol, rs. 
Na volta pra casa, quando o avião decolou, eu simplesmente comecei a chorar. Assim, sem mais nem menos. Chorei por uns 10 minutos, pensando zilhões de coisas ao mesmo tempo. Marido foi um lindo e me acolheu, mesmo sem entender direito o que se passava.

A semana transcorreu mais ou menos do mesmo jeito. No dia 02/11 (teoricamente o 35DC) fiz um teste, mas não com a primeira urina do dia, e a segunda linha apareceu, mas tão tão tão fraca que eu não consegui pular de alegria. Marido também viu e não quis comemorar. Mostrei pra Nana e ela achou que era positivo, sim. Mostrei pra Dani, a mesma coisa. Ficaram muito animadas! Por mais que tivesse sentido um mês inteiro que algo iria acontecer, eu não conseguia comemorar. Esperei o dia seguinte e fiz outro teste, dessa vez com a primeira urina do dia. A mesma coisa. Tão clara que parecia alucinação. Uma alucinação coletiva, porque todo mundo viu de novo, inclusive a Ju, super entendida de linhas claras, haha. Acabou minha paciência e fomos ao pronto socorro fazer um beta. Chegando ao hospital, quem eu encontro? A Isa, minha doula!! "Nada acontece por acaso", foi o que o Cleber disse. Não senti uma vertigem sequer de tirar sangue (mas fiz todos os meus procedimentos de segurança). Nessa hora eu já estava acreditando mesmo no positivo, porque só não passei mal com isso na outra gravidez. Duas eternas horas depois, o resultado saiu. Super baixinho, mas já era positivo! Fiquei tão feliz!! Nos abraçamos (depois de sair do hospital), a Dani me ligou para comemorarmos, me disse umas coisas lindas, foi uma festa só.
Chegando em casa, contei pros meus pais e pedi segredo (o que meu pai cumpriu até o último feriado, um marco pra ele, que não esconde nada das irmãs, rs). Meu irmão só soube essa semana. Os pais do Cleber nem devem saber ainda, eu acho, mas contaremos em breve. Poucas amigas sabem. E agora aqui no blog. As coisas estão acontecendo cada uma no seu tempo. E tá sendo muito gostoso. Ainda tento viver um dia de cada vez, ainda bate um medinho, mas vamos sempre em frente, que é onde as coisas acontecem.

Já tinha uma micro pessoa passeando em Salvador. Ou, as bochechas gigantes da mamãe.

14 comentários:

  1. Hora de repetir o mantra: Vai dar tudo certo!!
    Vc merece que esse bebê venha cheio de saúde e trazendo alegrias!!

    Flor estou organizando um amigo secreto das mamães blogueiras, se quiser participar me deixa seu e-mail !!

    Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Repetindo o mantra mesmo, Suzy!
      Obrigada por me lembrar e pelo carinho sempre :))

      Não sei se vou conseguir participar do amigo secreto, tentarei me organizar nos próximos dias.

      Beijo beijo!

      Excluir
  2. li e bateu a mesma felicidade de quando você contou. ou seja, gritinhos. e são 22:50h tá? hahaha. beijoca <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. japalinda, não assuste sua mãe com os gritinhos, tá?! hahahaha
      obrigada, por tudo!!

      beijo beijo!

      Excluir
  3. Eu passeei com uma mini-pessoinha muito especial. E com duas pessoas tamanho normal, igualmente especiais. :D
    (E eu sou uma ótima fotógrafa, by the way).
    E vááááárias vezes tive vontade de dizer: "ai ai... sei não hem...", mas não queria pressionar a pessoa. hahahahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pessoas tamanho normal, hahahhaha adorei!!
      (claro que é uma ótima fotógrafa!)

      sério?? conta mais, quando eu fiquei doida querendo pipoca lá no Dique? kkkkkkkkkkkk
      esqueci de escrever esse episódio :P

      Beijão!

      Excluir
  4. Ai que emocionante ler o comecinho da história! delícia!!! Parabéns!

    biquetadeouro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Marina,
    Quanto sentimento e serenidade nesse texto! Aliás, os seus textos são um poço de sensibilidade, como diria a música!
    Desejo mais tranquilidade, menos, bem menos medo e monte de felicidade!
    Parabéns! E fé na sua jornada!
    Bjossss

    ResponderExcluir
  6. UHUUUUUUUUUUUUUUUUUUUL
    ESTOU VIBRANTE AQUI!!!!

    Parabens!! luz, luz e mais luz! Você merece uma gestação abencoada e tranquila. Lá vem um novo serzinho para a terra com uma sorte enorme de ter te escolhido como mãe. Vai dar tudo certo! Muitaaaaas bençãos para vocês! Beijão :))

    ResponderExcluir
  7. Nossa, Marina... Como eu me identifico com você.... Ainda mais agora que, pelas minhas contas, nossos filhos vão nascer na mesma época... Quando é sua DPP?

    Minha identificação com você começou quando li seu relato de aborto, tão forte, tão sentido, e, ao mesmo tempo, tão sereno (procurei o texto depois do seu comentário naquele post lá no Tentantes...). E agora só cresce quando vejo como você está sentindo sua gestação. Admiro muito sua serenidade, e tenho certeza de que estar serena é a melhor coisa que você poderia fazer pelo seu bebê. Sei, no entanto, o quanto essa serenidade deve ser difícil de manter de vez em quando. Pra mim, pelo menos, o maior conflito vem sendo a vontade de me jogar, e viver intensamente cada segundinho dessa gestação, e o medo que isso gera. Pelo menos por enquanto, tô vivendo "intensamente devagarinho". Dá pra entender?

    Enfim... blablabla... hehe
    Te desejo tudo de melhor, viu? Tudo mesmo, e mais um pouco de tranquilidade!
    Beijo

    ResponderExcluir
  8. Heee coração de mãe nunca engana hahahah!
    E que venha com muita saúde e amor pra vocês!
    Beijosssssssssss

    ResponderExcluir
  9. Ownn, que lindo! Será que vou ter essa certeza assim tbm, quando estiver grávida? hehehe! Olha, você merece muito que essa gravidez seja perfeita! Desejo muitas felicidades mesmo!
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  10. Dia 17 eu acordei com a certeza de que estava grávida - Tãão Marina esse conhecimento todo!!!! Rs
    Mari desejo muuuita saúde a vocês, que sua gestação seja linda e perfeita!!!!
    Bjus
    http://seraquevousermae.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Ai Mari, só agora consegui passar aqui! Muito muito feliz por vc =)! Q vc tenha uma gestação abençoada e tranquila!Muita saúde para vcs dois!Bjuss

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário e faça uma família feliz :)