quarta-feira, 12 de março de 2014

A versão que ela gosta mais. Ou, temos um bebê interagindo agora!

Desde segunda (ou domingo a noite, se for pra ser exata), a pequena Agnes está muito quietinha aqui dentro. Praticamente não mexeu. Tipo, quase nada mesmo, apenas leves ondinhas, muuito raramente - na segunda passei o dia todo sem sentir na-da, só no fim da tarde deu um oi de longe, tipo aceno de miss, e fim. Ela não é uma bebê possuída pelo ritmo ragatanga que se mexe dia e noite sem parar, mas dá seus chutes e cambalhotas muito dos perceptíveis em sua piscina exclusiva, com a frequência que eu já conhecia muito bem. E aí com esse sumiço, a mãe, que é bicho encucado por natureza, já fica pensando como andam as coisas do lado de dentro da barriga e querendo saber detalhes do dia-a-dia da pequena. Mas como ainda não tem telefone na casinha dela, a gente fica com a boa e velha intuição e observação mesmo, né?!

Ontem a tarde me deu um estalo e lembrei que fazia tempo que não ouvíamos música juntas, sem fazer mais nada, só curtindo o presente. Dei um play na música que eu sei que ela gosta, fechei todas as outras abas do computador, deitei, fechei os olhos, e em menos de 1 minuto de música... tum! Alguém se manifesta. Depois de novo, e depois mais forte. Depois parou, e de alguma forma muito louca eu senti que ela tinha mudado de posição (não a senti mexer, só soube pela forma da barriga mesmo), e aí nos entregamos ao momento. Ficamos ali por uns 30 minutos, talvez um pouco menos, depois o interfone tocou e tive que ir atender o técnico da Net que tinha chegado (oi, vida real).

Mas sim, voltando ao assunto...
A música Debaixo D'água é velha conhecida no meio materno. Existem algumas versões dela, e eu particularmente adoro a versão do Arnaldo Antunes (que foi quem compôs a música, inclusive), no Acústico Mtv. Gosto do toque do teclado, das luzinhas... 
Mas aí, depois de grávida, ouvi novamente essa versão da Maria Bethânia e a pequena adorou!! Uma das primeiras vezes que eu a senti mexer foi ouvindo essa música, aliás. Dava pra notar uma diferença. Mas não é qualquer versão, minhas caras, porque filha minha é exigente desde o ventre. Não é só dar play em qualquer uma e pronto. Tem que ser uma versão específica, mais precisamente essa (não consegui colocar este vídeo específico aqui no post, blogger me trollando). Mas enfim, ela adora os tum-tum do comecinho. E a interpretação de Agora sempre me deixa com lágrimas nos olhos. E também ver os músicos tocando. E só o pedacinho do poema, no final, quando todo mundo já aplaudiu, também apetece minha menina.
E aí a mãe, que é bicho babão por natureza, faz o que? Ouve sempre, né?!

Foi muito gostoso "conversar" com ela ontem através dessa música - e das outras que ouvimos depois dessa. Foi um momento super especial, me fez bem e acho que ela curtiu também.

À noite ela ficou mais quietinha de novo. E assim permaneceu - acho que deve ter ido dormir o sono da beleza.
Hoje de manhã, o papai estava conversando com ela, fazendo carinho - aquele momento deles, que eu sou sempre excluída só expectadora. Dois segundos depois que ele tirou a mão... opa! algo se mexeu aqui! Uma ondinha de leve. Ele recolocou a mão e nada. Rimos e falamos que os bebês sempre fazem o que querem só quando querem mesmo. Ele voltou a conversar com ela, chamou... e dessa vez foi atendido. Ela ficava "respondendo" ao que ele falava, e eu não me aguentava de alegria! Acho que foi a primeira vez que ela se manifestou assim, tipo interagindo mesmo (tirando o episódio de ontem, hoje foi bem mais evidente). Depois ele foi tomar banho, eu fiquei deitada mais um tempo e a festa rolou solta aqui dentro. Ela fazia uns movimentos que pareciam umas ondas, ou cambalhotas talvez, mais fortes, tava muito engraçado. Parecia uma dancinha, rs.
Me diz, tem forma melhor de começar o dia?

E a mãe, que é bicho coração-mole-toda-vida, ficou rindo a toa. E agora quer dividir essas alegrias com todo mundo.

8 comentários:

  1. Ai que delicia, Marina!
    Fiquei emocionada só de ler!
    E me bateu uma super saudade!
    Sentir um bebe mexer dentro de vc eh verdadeiramente um milagre de Deus!
    To sumidinha, mas acompanho TDS seus posts!
    bjos!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma delícia né?! Eu fico toda boba com ela interagindo assim...
      e acho que vai dar saudade também, hehe.

      Obrigada! Tb tô sempre lá acompanhando vc e a Lili, ela tá uma fofura só :D

      Beijo beijo!

      Excluir
  2. Ai Marina, como é gostoso isso! Sentir bebê, sentir essa alegria, só sentir. Aproveita, porque mesmo sendo muito mais gostoso ter o bebê nos braços, a gente sente saudade dos tempos de barriga. Beijo nas duas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tô curtindo muito essa fase, Gabi, acho que vai bater uma saudade depois sim. É muito bom ter esses pequenos aqui dentro, né?! :D

      Beijo nosso em vocês!

      Excluir
  3. É gostosa DEMAIS essa fase!!!
    Cecília respondia ao pai desde então e assim que nasceu e o escutou, parou de chorar pra observá-lo - Agnes vai pelo mesmo caminho, já tô vendo!! rs

    Curte muito, Má!!! Dá tchau pra vida real e fica namorando a pequena e mimando bastante desde já - porque mãe é bicho bobo-babão, mas só porque as crias "fazem por merecer"! hehehe

    Beijos nossos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E os pais se derretem com as "respostas" delas, né?! haushuah Aqui ele ficou todo-todo.
      Sim, acho que ela vai pelo mesmo caminho meesmo, rs.

      Ah, elas fazem por merecer sim, com certeza! Estamos nos curtindo um monte, bom demais! <3

      Beijo beijo!

      Excluir
  4. Ahhhhh meu Deus, que fofura!
    Quero conhecer Agnes!!! Vem pro Riooooooooooooooooooooooo!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  5. Gostosuuuura! Uma linda essa Agnes, e já tem bom gosto, hein? Menina esperta pra dedéu!

    Bjs

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário e faça uma família feliz :)