quarta-feira, 5 de março de 2014

Sempre tem um motivo

Na outra gestação, muitas pessoas detestaram o nome que daríamos ao bebê, caso fosse uma menina. Foi um stress à parte, que tirou a paz, mas que passou, amém. Dessa vez, não posso negar que fiquei com um tiquim de receio ao pronunciar o nome da bebéia pra todo mundo. Não pelo nome em si, poderia ser qualquer um, o mais comum, o mais usado, mas gato escaldado, sabe como é, pensava que poderia vir um baldão de água fria na minha cabeça de novo.
Aos poucos fomos falando o nome e as pessoas... gostaram! Uau, isso é uma baita novidade pra mim, preciso dizer. 99% das pessoas gostaram mesmo do nominho dela! Claro que tem gente que não entende de primeira, que fala é um nome forte (sim, é pra ser forte mesmo), mas nada chega perto do que foi na outra vez. Se alguém achou péssimo, disfarçou bem (e que continuem disfarçando. obrigada, de nada). Em geral a resposta foi muito positiva.

Que legal né gente? Todo mundo gostando, todo mundo achando fofo, já chamando de Agnes, perguntando por ela, quanto sorriso, quanta alegria! E para ser sincera, até então eu não tive grandes problemas com pitacos ou intromissões, estava tudo tranquilo quanto a isso aqui por essas bandas. Pensei que fosse Deus dizendo que eu não ia precisar me estressar de novo. Tá vendo, Marina, as coisas não são tão ruins como você acha. Tenha fé nas pessoas, mulher! Acredite!

Hahahahahahahahahahaha.

Eu sou muito engraçada mesmo.
Pra ter achado uma coisa dessas, outra explicação não há de ter.

A realidade, minhas amigas, foi que eu entendi errado. Não era Deus falando "as coisas não são tão ruins como você acha". E sim que podem ser piores que, se eu tive uma trégua no começo, é porque viria outra coisa pra eu colocar no currículo. Acompanhem:

Quando eu contei aqui que era uma menina, comentei que tinha uma pessoa que "disse que sempre acertava o sexo dos bebês", e que ela tinha dito que era menino. Pois bem. Semana passada eu encontrei essa senhora e, papo vai papo vem, ela diz:
- (apontando pra minha barriga) tá crescendo mesmo, né?!
- é, estamos crescendo, sim. (essa é a lógica da coisa, minha senhora. barrigas com bebê dentro crescem, aceite isso).
- e é um menino!
- não, é uma menina.
- NÃO! É um menino, sim!!!
Uma outra moça que estava junto, prevendo a repetição das duas últimas frases para sempre, interrompeu:
- Você já fez o ultrassom?
- Já fiz, sim.
- E mostrou que era menina? Ah, fulana, então você errou!
- Sicrana! Como assim eu errei? Não acredito!
Aí virou um bafão - mais da parte das duas do que minha, diga-se de passagem. Eu realmente não aguentava mais o papo e disse que em breve faria outro exame, onde tudo seria esclarecido. Aí ela foi me contar de uma moça que o ultrassom mostrou ser menina, fez o enxoval todo rosinha, e ela (a vidente) insistia que era menino e pimba! Era um menino mesmo! Eu disse que não estava fazendo enxoval por cor, porque não gosto disso, e disse que se for menino ótimo também, que venha com saúde. No fim ela ainda me mandou repetir mesmo o exame, "pra ver direitinho, né", porque essa história tava meio estranha.
(obs: sem contar que ela achou que eu estava no começo do terceiro mês ainda, por isso o erro do exame; quando eu disse que já estou entrando no quinto a véia endoidou).

Foram bem umas duas horas de conversa que, independente de pra onde eu quisesse desviar, ela trazia o assunto de volta. Sem contar o relato do parto do filho, daqueles bem frank, que ela fez questão de me contar, frisando o quanto um parto é sofrido (não, eu não havia comentado nada sobre parto), e do mingau que a mãe dela fez pro neto, ainda recém nascido, com poucos dias, "porque ele não quis peito nem mamadeira". Sabe cara de alface? Era a minha. Tô craque nela, posso até dar curso de como fazê-la, inclusive.

#chatiada por ter que fazer essa cara daqui até a eternidade, em todos os assuntos referentes a maternidade. Cazuza, amigo, te entendo.

E aí depois, quando contei essa história para algumas pessoas, o que ouvi não foram risadas ou uma história engraçada/legal para contar (teve quem riu, mas como sempre, esses seres são cada vez mais raros no meu mundo), mas uma carinha de "é, talvez ela esteja certa, hein?!". "Mas você fez o exame quando o bebê era bem pequenininho, né, não dava pra ver direito", me disseram. "Fiz com 17 semanas, que dizem ser um bom tamanho para ver com mais clareza". Ainda aquele ar de "mas e se...?". Caras desconfiadas. Cara de alface. Assim caminha a humanidade.

E o que eu tenho a dizer de tudo isso? - vocês podem estar se perguntando.
Tenho a dizer que numa próxima gestação não vou contar o sexo nem o nome pra ninguém. Só quando nascer. Que seria melhor eu nem anunciar minha gestação, na verdade. Que o ideal mesmo seria que eu me mudasse para o Tibet, ou fundasse uma comunidade hippie-índia-isolada-no meio do mato ou e cima da montanha. Porque não é fácil, minha gente. As pessoas acham que a grávida é um ser completamente irracional e burro, que não pode tomar nenhuma atitude ou decisão sem com consentimento de terceiros, que anda com uma placa por aí "me deem conselhos, dicas, mandingas para conseguir ser mãe, salvem meu filho de mim!". Só pode ser isso. Não importa o motivo, você sempre pode estar errada. E não se preocupem em não perceber, porque vão te dizer com todas as letras.

--

Falando sério. Semana que vem é dia de morfológica. Posso descobrir que a Agnes é hômi? Claro que posso, e não vejo problema algum nisso (e venho aqui contar assim que possível, óbvio). Ela pode ser o que ela quiser. Nascer homem ou mulher não determina muita coisa, no fim das contas. Sempre acreditamos nisso e o fato de eu ter decidido fazer o exame para saber o sexo se deu unicamente por motivos meus, não por preferência, receio, pressão externa, muito menos cor de enxoval. Caso ela seja ele, mudarei o nome, porque não acho legal Agnos, hahaha (mas guardarei o nome para uma próxima oportunidade), e aí é vida que segue. Se duas máquinas de ultrassons anteriores erraram. Se dois médicos diferentes, em duas clínicas diferentes erraram, não tem problema, juro que nem vou processar ninguém. Também não acho que a criança nascerá complexada porque a chamamos até aqui por um nome que não o dela. Não estou com nem um pingo de preocupação em relação a essas coisas, sério mesmo. (Outra coisa, pessoas que dizem ter uma visão além do alcance, um dom, uma missão existe muito ao meu redor. Não sei se é uma coisa geral, mas aqui eu tenho várias. E eu não posso dizer que não acredito nelas, porque muitas vezes elas estão certas, sim. Não zombo nem duvido das crenças de ninguém, também tenho as minhas, muitas são parecidas com essas, inclusive.)
Sabe o que é chato de verdade? Sabe o que me irrita, que me deixa puta da vida? O fuzuê que fazem em torno disso. Tanto faz se for de um jeito gritado como verdade, ou uma coisa mais velada, do tipo "vou ficar na minha, mas saiba que eu sei mais da sua vida do que você". Mas é sempre a mesma coisa. Sempre aquele ar meio Kiko (do Chaves), lembram? "Tenho um pirulo e não te do-ooouu!".

Calma, pessoal. Sendo menino ou sendo menina será meu do mesmo jeito. Será um bebê do mesmo jeito. Precisará de colo, de fraldas e de leite do mesmíssimo jeito. De respeito, de amor e de paz idem. Tudo isso está garantido, fiquem calmos. E com certeza quem veio me encher o saco vai querer vir pegar no colo do mesmo jeito - mas aí já não posso garantir nada. Não achem que me fizeram um favor e não esperem que eu faça um publipost divulgando seus serviços de esperteza. Ninguém irá deter poder algum, nem decidirá absolutamente nada sobre essa pessoinha que estou fabricando. Até porque, até onde eu estudei na escola, não é a visão de alguém que determina o sexo de um bebê, ou sejE, não foi você que descobriu nada. Ok? Estamos entendidos? Então acho que o papo está encerrado.


E da próxima vez que me perguntarem se eu tenho certeza do sexo, vou responder:
- Não, porque é filho do David Bowie.

30 comentários:

  1. hahahaha, daqui até a eternidade! Estamos juntas nessa, Marina!
    Viva o alface!

    ResponderExcluir
  2. Olha, eu te admiro, Marina. Se fosse eu, no teu lugar eu teria mandando MESMO a senhora palpiteira me procurar onde o vento faz a curva.
    Às vezes eu chego a pensar que é até judiação esse tanto de pitaco não pedido para as grávidas. Poxa, é hormonio mexendo, é o medo do desconhecido, sao as transformações, os seus questionamentos e mais um zilhao de coisas ao mesmo tempo e ainda vem a maledeta da pessoa pitacar. Como quem diz: 'voce engravidou e nao será capaz de cuidar do bebe se nao fizer isso, isso, isso.' Chega a ser bizarro a falta de noção das pessoas.
    No mais, tente não se importar com isso. Continua na cara do alface, ou mande todos pra pqp.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu nunca falo nada, Andreza, depois penso que podia ter dado umas cortadas. Meu marido nunca deixa quieto, dá as respostas certas, e o povo fala menos asneira pra ele, preciso aprender mais com ele, haushaushau. Essa senhora afirmou com todas as letras que era menino mesmo, ficou falando isso de 5 em 5 minutos, o quanto ela é certa nessas coisas e tal ¬¬
      E sim, são muitos hormônios, mil assuntos pra pensar e decidir, uma vida pra viver e outra pra fabricar, e ainda tem gente achando que precisamos de mais coisa na lista, rs.

      Eu fico brava assim, mas depois passa. Escrever me ajuda no processo (mas podia ser boxe tb, ahhahaushuahsa)

      Obrigada pela força!
      Beijão!

      Excluir
    2. Olha, eu acho que quando chegar a minha vez eu serei a grávida ácida. Se não grávida eu já corto tudo pela raiz, imagina podendo 'culpar' os hormônios? Se for hereditário (não é, mas finjamos que sim) as pessoas que vierem pitacar estão ferrados. hahahaha eu já comentei a resposta que a minha mãe deu às minhas tias em relação ao meu nome, não foi? Ela tem várias outras histórias no mesmo nível interessantes. Mas aprenda mais com o Cleber sim. hahahahahahaha

      Beijão!!!

      Excluir
  3. Ai amiga, a paciência e cara de alface são coisas que vamos ter que exercer muito ainda!
    Aqui já ouvi muita coisa por conta do nome do meu bebê, mas e dai?! Não vou dizer que não me importo, é chato claro, incomoda, mas 'vamo que vamo' né, é o jeito!

    E quanta preocupação as pessoas tem né?! Vir dar pitaco é tãoo fácil, quero ver se vão vir te ajudar a arrumar a casa, lavar uma louça ou varrer o chão, depois que o bebê nascer! Só aparecem na hora boa: de segurar o bebê limpinho e bonitinho hahaha. Aqui eu já falo que sou ciumenta e não vou deixar ninguém segurar....pra ver se algumas pessoas já se ligam, porque tem umas que são aquelas que se adonam dos bebês sabem? Tem uma mãe de uma amiga bem próxima, que tenta até dar o peito dela pros bebê. Socorro!!! hahah

    Continuemos na cara de alface ad infinitum!

    Beijoo em ti e na Agnes lindaaaa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha Ni, difícil essa coisa de ter paciência com quem dispara suas verdades na nossa cara, né?! Eu tenho tentado muito, não enfrento (porque sempre piora), penso em outras coisas, mudar o foco (na hora da coisa, eu digo), mas não posso dizer que é tranquilinho ouvir essas merdas, rsrs
      Lavar uma louça, varrer uma casa... ninguém quer né?! haushaushausha vou chamar todo esse povo pra vir aqui quando estiver recém parida (mentira, vou não, melhor não dar brecha, kkkkkkk).

      Socorro mesmo!!! Acho que eu surtava, saía correndo com o bebê no sling 3 dias sem olhar pra trás, kkkkkkkkkkkk

      Beijo em você e no Rudá gatão!!
      e força pra nós!!

      Excluir
    2. Adorei essa ideia de sair correndo 3 dias sem olhar pra trás hahaahaah

      Que Deus nos acuda, porque não tá fácil!

      Beijooo

      Excluir
  4. Olha,assumo que ri muito!Fui lendo como quem lê uma fotonovela sabe?Minha criatividade voou.
    Quanto ao nome eu não ligo.Na minha família a maioria tem nome esquizito (como o meu que vc pode ver).Descobri que era menina e não pesei duas vezes: Safira.
    Amei sua coragem!
    Um grande Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahah fotonovela, gostei dessa, Maiani!!
      Seu nome é lindo :D

      e dessa vez que não tive problema nenhum com o nome, todos gostaram, me chegam com essa que é um menino! ¬¬ não dá pra fugir dos pitaqueiros mesmo, né?! não tenho mais esperanças, haushaushausha

      Excluir
  5. Tão complicado isso né?
    Quando eu escolhi o nome do meu filho tbm ouvi mt por ser um nome "diferente". Mas era aquele q tinha escolhido e o único que poderia palpitar era meu marido.

    Eu tbm acredito que algumas pessoas tem um dom. No começo dá minha gravidez eu achava que era menina Pq enjoava mt. Aí conversei com minha mãe, e ela me disse que tinha sonhado e que era menino. Sempre confiei demais nas "visões" dá minha mãe. E é aí que entra a diferença. É uma pessoa que vi minha gravidez inteira, morei com ela por mais de 6 meses. Ela me conhece e me respeita.
    Todos erraram (até a avó do marido que era a super entendida), só minha mãe que acertou.

    Algumas pessoas se acham no direito de interferir. E se vc já esta cansada da cara de alface, espere até a Agnes nascer. Mãe NUNCA sabe oq faz. NUNCA!

    Boa sorte na morfológica.
    Beijos

    Fernanda
    querouboumeucoracao.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E quando eu penso que escapei da falação por conta do nome, me falam que nem importa o nome, já que é um menino. Os ultrassons erraram e eu sou super #menas por não ter percebido, kkkkkkkkkkkkkkkkkk
      Tem que rir pra não chorar!

      E sim, me disseram mesmo que piora quando o bebê chega. Oh céus, me dê paciência e ouvidos moucos, é só o que eu peço! rs

      Depois da morfológica eu volto pra contar as novidades da Agnes... ou do AgnOs, ahahaha

      Beijão!!

      Excluir
  6. Oi Marina! Eu acho muito estranho gente que dá pitaco no nome de filho alheio. É uma escolha tão pessoal, tão carregada de significados... absolutamente sem noção.
    Eu entendo sua posição numa próxima gestação, mas pitaqueiros não se intimidam jamais. E haja paciência e cara de alface :-)
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estranhíssimo mesmo, Gabi, falou tudo!
      Na outra gravidez sofri com isso.
      Nessa aqui, todo mundo gostou, até agora. Mas tem gente duvidando dos exames que dizem ser menina. Não que eu vá rejeitar se for um menino, como disse no texto, mas a pessoa fala como se ela fosse a detentora da verdade, sabe? Ela é que sabe, de tudo! ¬¬
      me falta paciência, preciso voltar pro ioga urgente, hahhaha

      Beijo beijo, e obrigada pelas palavras!

      Excluir
  7. Por que o mundo é assim, hein? Por que as pessoas são assim?
    Mas será que ninguém sabe dizer "Ai que bom! Que linda! Que venha com saúde!".? O povo tem sempre que falar e ser desagradável. Eu ainda faço cara de alface até hoje, mas de vez em quando consigo responder com um "ah, isso não funciona lá em casa". O melhor calaabocadomundo é o próprio bebê. Pode não fazer sentido agora, mas quando Agnes nascer tu vai me entender direitinho.
    No mais, só rindo, amiga. Ou então a gente pira.
    Beijos nessas lindas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem que rir pra não chorar, amiga! Bem assim mesmo, rs
      Aqui eu já tô quase uma plantação de alface, sinceramente, uashaushaa

      Essa semana fui no trabalho do Cleber e uma colega dele falou pra mim "que bom te ver, você tá ótima, sua barriga tá linda". É DISSO que eu tô falando, ahahhahhahahaha
      Mas a maioria prefere ficar na mesmice, sempre com aquela velha opinião formada sobre tudo - e sobre todos,
      Quero muito entender essa do bebê ser o calaabocamundo. Todos na campanha #agnesmostrapraelescomoé, rs

      Beijão em vocês duas!

      Excluir
  8. Odeio pessoas que não respeitam as vontades e a vida dos outros.
    Cara de alface sempre e pra sempre! hahaaaaa
    Bjus
    http://seraquevousermae.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É difícil mesmo, Mima, mas a gente vai levando, rs

      Valeu a força!

      Beijo beijo!

      Excluir
  9. Oh God. Dai-nos paciência. Muita paciência, porque pouca não será suficiente.

    Infelizmente, querida, eu sinto te dizer que isso só vai piorar quando ela nascer. Felizmente, por outro lado, você é esclarecida e tranqüila para lidar com isso!

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem que ser paciência mesmo, Loroca, porque se Ele me der força, nem sei o que faço com esse povo, hahhaaha
      Tô me preparando pra quando ela chegar, sim. Mas marido já tá escalado para todas as respostas que eu não tenho coragem de dar :P

      E haja ioga e ar puro pra lidar com tudo isso... mas a gente consegue. #oremos

      Beijo grande procês!

      Excluir
  10. Nossa, que braveza! Eu tbm me irrito com essas intromissões, mas me irrito menos (ou estou grávida de menos tempo hahahahahaha).

    Acho bom vc fazer muita cara de alface, amiga.... Vamos nos acostumar.... ou nos revoltar para todo o sempre!

    Quando me perguntavam "e o sexo???" antes de eu saber ser uma menina (e talvez possa ser um menino, vai saber), eu respondia "áh, tá ruim... meu marido voando muito, quase não nos encontramos mais, uma tristeza".....

    Paravam de perguntar na hora!

    Beijos grandes!!

    Vamos pôr a Agnes e Beatriz para almoçarem juntas semana que vem????

    Beijos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Braveza define, Dani. Disse tudo, haushasaashuahsa
      Tb preciso admitir que nessa gestação os pitacos estão beeeeem mais suaves, em termos de quantidade, do que na outra gravidez. Demorou muito pra começarem a falar. Mas agora, já na metade, a coisa começou a desandar, hehe

      Eu não costumo me irritar tanto com essa gente, no geral sigo na cara de alface e depois mudo o foco. Mas a insistência foi tanta, tanta (aqui eu resumi, acredite), que eu saí do sério (depois, em casa). Se tem uma coisa que realmente me deixa pirada é gente falando que sabe mais de mim do que eu. É como eu sempre digo, ela pode até saber de algumas coisas e acertar outras, mas dona da verdade assim desse jeito, ninguém é.

      E pior foi que a pessoa nem perguntou do sexo (adorei quando vc me contou essa sua resposta, hahaha), ela "apenas" afirmou para todos que quisessem ouvir que eu estava errada e que sempre foi e sempre vai ser um menino, sim! e que eu devia parar de comprar roupas de menina ¬¬ (sério, pra que essa preocupação? aqui tá tudo colorido e assim vai continuar, amém, rs)

      Vamos colocar as duas pra almoçar, sim!! (acredita que esse fim de semana acordei querendo aquele strogonoff que comemos da última vez? kkkkkkkkkkkkk)
      Te mando mensagem pra gente combinar certinho! :D

      Beijão em todo mundo!

      Excluir
  11. hahahaha! É muita gente doida por esse mundo, viu? A melhor tática pra lidar com essa gente é a que vc tem usado: cara de alface! No mais, deixa falar... A gente só deve reter o que for bom! Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muita mesmo, Talita, nem me fale! hahahaha
      até que demoraram pra começar as pérolas dessa vez, mas agora já era, ahushausa
      Sim sim, sigamos com a nossa cara de alface daqui até a eternidade. O que for bom a gente guarda, o que não for, bem... a gente desabafa no blog e segue rindo das doidices alheias, haushauhsauhsa

      Beijão!

      Excluir
  12. Marina.. eu ri, desculpa?! Pq temos que rir mesmo!!! Se não.. afff.. são 9 meses (só o inicio) de estresse com o poUvo que insiste e abrir a boca quando o melhor é mantê-la fechadinha!!!
    Lembro da minha gravidez, quando estava bem no inicio, 3 meses recém completado, fui comer paçoca caseira (SALIVANDO de vontade) aí vem uma'zinha e grita comigo: Para!!! ta maluca.. isso é abortivo. Seu bebe vai morrer!!!!
    Eu fiz a forte depois morri de chorar...
    Na consulta, o GO disse rindo que a única coisa que eu não podia comer era veneno... de resto era para eu ser feliz e me fazer de surda!!!!

    Sorte aí viu!! Fones de ouvido ajudam muito nessa hora!!!

    bj grande em vcs!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode rir, sim, Martha! É pra rir mesmo, porque senão a gente endoida! haushaushas
      e tem uma pessoinha demandando atenção total aqui né?! não posso me dar ao luxo de endoidar pelos outros, hehe

      Difícil alguém que tem algo de bom pra falar pra uma grávida, geralmente são as histórias péssimas - e aumentadas, e as lendas tb.
      Ainda bem que temos quem nos acalme e fones de ouvido a disposição, hehe

      Valeu a força!! :D

      Beijo beijo!

      Excluir

  13. Essa história do sexo, sobre menino ou menina, me lembrou de uma coincidência, Garfilkel (um sociólogo famoso e q escreve de forma super gostosa de lê) q fez uma etnografia sobre uma menina chamada Agnes (!). O estudo fala sobre questões de identidade de gênero. Tem um pouquinho da história aqui: http://growingupinamerica.wordpress.com/2012/03/08/the-ethics-of-intersex-a-1960s-ethnographic-study-of-a-girl-called-agnes/.
    Beijos e n liga pra esse povo sem nocao nao! Rs
    Ps: fiquei curiosa sobre o nome que seria escolhido para bolotinha :)
    Ass: Rany

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uau, que super coincidência isso hein?! Vou ler sim, com certeza! :D

      ps: o nome da bolota, se fosse menina, seria Valentina. Pra mim não é um nome estranho, mas bem, esse povo sabe mais que eu, não é? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Obrigada, Rany :)
      Beijo beijo!

      Excluir
  14. Marina,
    Me convida pra tua comunidade hippie-índia-isolada-no meio do mato ou e cima da montanha?
    Por aqui o povo nem sabe ainda que to grávida, mas eu devo ter uma cara de gestante porque o povo vem com cada história que só muito alface pra superar.
    Bjinhos

    ResponderExcluir
  15. Eu lembrei agora do dia que anunciei para minha amiga de infancia que minha filha chamaria Catarina! a reação dela foi a pior possível, nossa eu passei dias tentando dizer para mim mesma que o nome era lindo, pois eu e o marido havíamos escolhidos muito antes de ser gerada, as vezes ainda me pego sem jeito de pronunciar o nome quando alguém pergunta, mas escolhemos esse, temos o direito e o amamos! Agnes eh um belíssimo nome, gosto de nomes assim, Forte!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário e faça uma família feliz :)