quarta-feira, 4 de junho de 2014

Carta do dia: sobre a última noite

São Paulo, 04 de junho de 2014.

Agnes, 
essa noite eu sonhei com você. Sonhei com o momento do seu nascimento. 
Não foi um sonho longo, cheio de cenas, detalhes e pormenores. Foi simplesmente assim:

Eu estava no banheiro aqui de casa sentada num banquinho, que não sei de onde surgiu, de frente prum espelho grande, de origem igualmente desconhecida. Provavelmente eu estava em trabalho de parto, pois estava sem roupa. Me lembro que não estava com muitas dores, nem fazia muito tempo que estava daquele jeito. De repente, ali sentada, sozinha, senti que algo estava acontecendo, uma força, e quando olhei pelo espelho, vi que você estava saindo de mim. Você estava nascendo, filha, na nossa casa! Eu coloquei a mão pra te segurar e no momento seguinte você veio suave pra mim, de uma forma muito natural, ainda dentro da bolsa das águas. Nessa parte eu me emociono. Eu te segurei no colo, ainda dentro da bolsa, - me lembro de achar incrível conseguir te segurar e a bolsa continuar íntegra - sua vó chegou no banheiro pra ver o que estava acontecendo e nos viu ali - eu sem saber direito o que fazer, você toda emboladinha dentro da sua casinha. Eu te olhava e te achava tão pequenina. Parecia que a ficha ainda não tinha caído, eu não acreditava que você já tinha chegado. Rompi a bolsa e aí sim pude te ver melhor, maior, senti seu corpinho no meu, quente, molhado e cheio de vida. Eu não queria parar de te olhar, estava tão feliz e tão emocionada - e agora percebo que não ficou gravado todos os traços do seu rosto, que eu terei a vida toda para observar. Mas aquela sensação de te ter aqui, de uma forma tão natural, quase como se sempre tivesse estado entre nós... isso eu não esqueço. 

E foi simplesmente assim. O primeiro em quase oito meses de gestação. Não sonhei com você, nem com o parto, em nenhum outro momento dessas 33 semanas e 5 dias de nossa coexistência. 
Ele poderia ter acontecido em qualquer outra noite, em qualquer outro sono, mas foi nesse, e por isso eu fiquei ainda mais emocionada. Vou te contar porque.
Ontem à noite, eu estava praticando o epi-no com a ajuda do seu pai. Era uma noite muito fria, no começo eu tremia com o ar gelado, já passava das onze da noite. Mas persistimos. Seu pai tem sido um companheiro e tanto, depois te conto mais sobre isso. Eu estava com muito frio e muito cansada também, pelo dia que tive. Estava difícil relaxar e me entregar ao exercício, como deve ser feito, e você, danadinha desde já, mexia pra lá e pra cá, me fazendo ter vontade de ir ao banheiro antes da hora. Eu respirava fundo pra relaxar e me concentrar, e você se remexia a cada expiração minha, apertando minha bexiga. Me contraía por causa do frio e da vontade de ir banheiro. Apertava a bombinha do aparelho. Respirava fundo. Você se remexia (dava até pra ver). Resumindo, eu não aguentei do mesmo jeito que nas outras noites e comecei a contar logo o tempo pra acabar. Quando completou os 10 minutos e o balão começou a sair, eu só queria que acabasse logo. Sentia dor, vontade de fazer xixi, queimação. Aflição. Fui dormir chateada comigo por não ter sido melhor. Pensava se daria conta de um expulsivo natural e não conduzido, como eu desejo que aconteça. Pensava se minhas forças seriam suficientes para me fazer esperar o seu tempo de sair totalmente de mim, sem desejar que "acabem logo com isso que eu não aguento mais!". Seu pai me abraçou e eu dormi. Já no fim da noite, quase amanhecendo, sonhei com você.

Foi muito emocionante, filha, de verdade. Um sopro quente de conforto e de força no meu coração.
Eu não estou achando que o seu parto vai ser rápido, fácil, indolor. Mas ter sonhado com você exatamente nesta noite, depois de tudo isso, foi quase como te ouvir me dizer que vai dar tudo certo, sim. Independente de como for e onde for. Que as coisas podem não acontecer exatamente como planejamos, mas podem ser ainda mais intensas, se nos permitirmos senti-las. 
Passei o dia com esse sentimento no peito, relembrando o sonho e o interpretando de mil maneiras. Mas não preciso detalhar tudo aqui. Quis registrar para nunca me esquecer, e para que você venha a saber, um dia, da nossa primeira vivência de sintonia. E o quanto essa vivência foi real.


com amor,
mamãe.

13 comentários:

  1. CATAPLOFT!

    Muito amor por vocês!! Que coisa mais linda e emocionante!!!!

    ResponderExcluir
  2. Meu Deus quanta sintonia,emoção,amor que coisa mais linda sonho que jamais será esquecido .

    ResponderExcluir
  3. Emocionante ,lindo demais é muito amor.Sonho impossível de se esquecer.

    ResponderExcluir
  4. Chorei! (como sempre acontece qdo passo por aqui...)
    http://meupequenoreidavi.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Aii Marina, Marina, sempre me fazendo refletir e me emocionar. Tu tem um jeito tão lindo de escrever, de contar...que sonho maravilhoso.

    Agnes desde já sendo linda e mandando um recadinho pro coração da mamãe.

    Muito amor pra vocês <3

    ResponderExcluir
  6. Lindo, lindo, lindo!!!!!!!!!!!!!!!!
    Super emocionante......
    que delícia de sonho, que delícia de reconforto, não????
    É a Agnes já dando sinais de que vai te ajudar para sempre.

    Beijos grandes!!!

    ResponderExcluir
  7. Uma sincronia de amor que só quem passa por este momento sublime, entende! Saúde e força pra vocês! e :-)

    ResponderExcluir
  8. Até você contando parece real!!!
    Agnes, venha com muita saúde, que Deus te abençoe muitooooo!!!

    ResponderExcluir
  9. Coisa mais linda, me emocionei com o post! :')

    ResponderExcluir
  10. Que lindooooo! Já pensou?! Sonho de parto.

    Beijos

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário e faça uma família feliz :)